‘Arquitetaram um golpe’, diz Regina Celi após saída da presidência do Salgueiro

Regina Celi deixou o Salgueiro após decisão judicial. Foto: Henrique Matos

Agora ex-presidente do Salgueiro, Regina Celi quebrou o silêncio e se dirigiu àqueles que chama carinhosamente de ‘filhos’ – os torcedores salgueirenses. O texto publicado em rede social, neste sábado (15), é o primeiro pronunciamento da ex-comandante da vermelho branco após deixar a presidência da agremiação.

No discurso, Regina acusou opositores de ‘arquitetarem um golpe’ para retirá-la da escola. Ela também agradeceu ao componentes e lembrou que deixa o Salgueiro com a agremiação sendo líder do ranking da Liesa.

Veja o texto publicado pela ex-presidente:

Meus filhos, passado o calor da emoção, consegui escrever para vocês.

Em maio desse ano fui reeleita com 67% dos votos, com o dobro dos votos do 2o colocado que foi a chapa 2, e que por decisão da justiça, contrariando a grande maioria dos salgueirenses, tornou a chapa 1 inelegível, consequentemente dando posse a chapa 2.

Infelizmente neste imbróglio conheci de verdade várias pessoas que faziam parte da nossa chapa e em um movimento orquestrado, vislumbraram a oportunidade de me tirar do comando dessa agremiação, que com muito trabalho colocamos o Salgueiro no topo do ranking da Liesa. No voto contra a Regina seria muito difícil, então arquitetaram um golpe, e o fizeram com maestria, com o patético slogan: “O Salgueiro não tem dono”. Salgueiro na minha gestão, não teve dono, teve administração, teve reconhecimento, teve título, passou a ser uma escola de samba que entrava todo ano pra ser campeã, e isso sempre refletiu nas urnas naturalmente.

Saio vencedora, saio honrada, saio respeitada, saio por força de uma decisão judicial que contrariou a vontade de muitos salgueirenses. Sou grata a Deus que fez cair várias máscaras, e revelou a lealdade de tanta gente que é de verdade. Vocês me conhecem, nunca nada em minha vida foi fácil de conquistar, e agora estou mais forte do que nunca.

Agradeço ao meus grandes amores, meus filhos, vocês são minha maior força! E um agradecimento ESPECIAL a duas pessoas que me ajudaram no momento que mais precisei, e juntos não iremos desistir, OBRIGADO Rafael Alves e Shanna Garcia.

Tenho alguns agradecimentos à fazer, me desculpe caso esqueça de alguém: a toda imprensa por toda transmissão durante todos esses anos, pelo carinho comigo e com a família salgueirense, ao eterno Mestre da Furiosa, meu amigo, parceiro e leal mestre Marcão, aos ritmistas da bateria furiosa, alas das baianas, velha guarda, harmonia, compositores, comissão de frente, minha comunidade, direção de carnaval, destaques, composições, passista, maculelê, minhas musas, departamento de marketing e captação de recursos, departamento médico, departamento social, ateliês, barracão, meu amado carro de som, todo mundo que acredita e acreditou no meu trabalho e a todos que torcem por mim, MUITO OBRIGADO! O salgueiro é pra quem tem fé, e eu tenho muita! Tenho certeza que a justiça será feita e que a vontade dos salgueirenses será respeitada. É como diz o nosso hino: “Machado desce e o terreiro treme, ojuobá quem não deve não teme”!

Jomar Casemiro assina documento que transfere posse da presidência do Salgueiro para André Vaz. Foto: Divulgação/Alex Nunes
Presidente interino, Jomar Casemiro assina documento que transfere posse da presidência do Salgueiro para André Vaz. Foto: Divulgação/Alex Nunes

Na manhã desta sexta-feira (14), André Vaz tomou posse do Salgueiro depois de uma decisão judicial que o declarou presidente. O motivo foi a não inscrição de outra chapa concorrente. Vale lembrar, também, que Regina Celi foi declarada inelegível pela justiça e não pôde concorrer no pleito que ocorreria neste domingo (16).

Com a chegada do novo mandatário, o mestre da Furiosa há 15 anos, Marcão, deixou a agremiação. Para seu lugar, foram promovidos os diretores de bateria Guilherme e Gustavo, agora comandantes dos ritmistas da vermelho e branco.

Na opinião dos comentaristas do SRzd no quesito bateria, Bruno Moraes e Cláudio Francioni, a promoção de gente ‘da casa’ para o comando da Furiosa mudará pouco e manterá o trabalho de Marcão. No entanto, a saída do mestre “é uma grande perda para o Carnaval”.

Além de Regina Celi, Marcão, mestre de bateria, também deixou a escola. Foto: Eliane Pinheiro/SRzd

Comentários




    gl