‘Ainda me belisco pra acreditar’, diz ganhadeira sobre enredo da Viradouro

Ganhadeira Maria de Xindó com o presidente Marcelinho Calil. Foto: Divulgação

A Unidos do Viradouro encerrou na noite deste sábado (15) a temporada de ensaios de rua. E o evento, que reuniu todos os segmentos da escola e levou centenas de pessoas à Avenida Amaral Peixoto, no Centro de Niterói, teve a presença de Maria de Xindó, uma das matriarcas do grupo musical Ganhadeiras de Itapuã. Não foi o primeiro contato da baiana de 73 anos com a vermelho e branco, mas foi a ocasião em que ela pôde ter uma ideia mais aproximada do cenário que encontrará no Sambódromo carioca no próximo domingo, quando a Viradouro estará na Avenida.

Xindó, que fez lavagem de ganho em Itapuã e é descendente das mulheres que, entre o fim do século 19 e início do século 20, se tornaram as primeiras empreendedoras do Brasil, deixou o ensaio de rua extasiada.

“Ainda me belisco pra acreditar que não estou sonhando. Estou radiante! O aconchego, o acolhimento da escola, eu não esperava. Quando as outras ganhadeiras chegarem pro desfile, tenho certeza que vão sentir a mesma coisa que estou sentindo.”

Além da acolhida da diretoria e dos componentes, ela revela que também se impressionou e se emocionou ao ouvir o samba-enredo sendo entoado por um número tão grande de pessoas.

“Quando vi o pessoal todo cantando o refrão ‘ensaboa’, e ensaboar roupa foi a minha vida, foi demais. E a emoção não é só minha, mas de todas as mulheres que viveram isso que eu vivi, ganhando seu trocado honestamente. As baianas de acarajé, as costureiras, as bordadeiras, as rendeiras, todas elas estão sendo representadas no enredo e no samba da Viradouro”, afirmou Maria de Xindó, que também estará no último ensaio de quadra nesta terça (18), a partir de 19h, com entrada grátis.

O título do enredo da escola, que será a segunda a desfilar no domingo, é “Viradouro de alma lavada”, dos carnavalescos Marcus Ferreira e Tarcísio Zanon.

Comentários




    gl