Malandros anuncia equipe e enredo para o Carnaval Virtual 2020

O GRESV Malandros, 10ª colocada do grupo de acesso em 2019, anunciou hoje a equipe com a qual buscará o título do grupo de acesso em 2020. A escola renova com o intérprete Josué Barcus e contrata o experiente carnavalesco Clay Gomes, que assumirá no lugar de Marcos Venâncio.

O intérprete Josué Barcus é um cantor experiente, com participação em grupos corais, espetáculos musicais e tendo se apresentado em espetáculos de jazz na casa de shows Blue Note, porém sem experiência profissional com sambas-enredo. Carioca e entusiasta do carnaval, recebeu o convite para compor o carro de som da escola, onde desempenhou excelente papel ao defender o samba-enredo “Nanã – a raiz do centro da Terra” em 2019.

O experiente carnavalesco Clay Gomes retorna à passarela do Carnaval Virtual após 2 anos sem atuar como carnavalesco (período em que atuou apenas como diretor de carnaval da GRESV União da Gávea, ao lado do atual presidente Marcelo Custódio). Clay tem passagens pela GRESV União da Gávea, onde atuou como carnavalesco e presidente desde a sua fundação em 2005, quando a agremiação desfilava como escola de samba de maquete, em seguida se filiando às escolas virtuais em 2013. No carnaval real, atuou em 2009 como carnavalesco da Virando Esperança, extinta escola mirim da Unidos do Viradouro, e foi bicampeão do carnaval gonçalense nos anos de 2009 e 2010, além de conseguir um vice-campeonato em 2011.

Além dos dois, a escola permanece sob a presidência de Victor Nowosh, o Nonô, juntamente com a dupla de conselheiros artísticos Isac Ferreira e Victor Fernandes, e o auxiliar de pesquisa Alberto Lemos.

Para o ano de 2020, Clay vai desenvolver na Malandros o místico enredo “Tarot”, sobre as cartas ciganas do Tarot de Marselha, a cidade mais antiga da França, onde o baralho cigano nasceu. A escola ainda não divulgou se fará disputa de samba ou encomenda, devendo informar nos próximos dias.

Você pode conferir o enredo, de autoria de Marcos Felipe, juntamente com o logo, desenvolvido por Thiago Miranda, a seguir:

 

TAROT

Autor: Marcos Felipe

Hoje quero é malandrear, tentar o novo, sorrir pra vida e seguir em frente. Para isso, no entanto, é preciso saber se a maré está para peixe e a sorte está ao lado. Fui buscar ajuda em outro plano… na cigana aqui do bairro para ler o meu destino. Mulher respeitada. Com ela não tem meias palavras: o que diz é lei e ninguém contesta. Esperto nenhum consegue dobrar o poder que as cartas têm. Em sua tenda, olho seus olhos oblíquos enquanto ela despeja os quatro naipes de seu místico baralho sob a mesa, empurrando um pouco sua bola de cristal. Ela então pede para que eu feche os olhos e me concentre em suas palavras, o que acho estranho, pois nunca vi uma leitura de cartas assim, mas não hesito em fazer o pedido. Foi então que uma viagem muito louca se fez…

Nos confins da imaginação, fui guiado através da escuridão pela voz da cigana. Caminhei numa estrada escura até que me deparei com um grande castelo: o castelo dos arcanos. Entrei pelo portão maior e me dei de cara com um grande império. Vi casinhas que abrigavam seu povo que parecia envolto por um ar místico diferente, uma aura das estrelas. Passeando pelas ruelas, vi mercados, lojinhas e todo o comércio que parecia florescer pelas mãos de uma burguesia influente. Parei para conversar com um comerciante, que confirmara a boa fase, reflexo do grande imperador e sua esposa que guiavam o reino. Porém, alertou que o papa, representante do clero da região, havia avisado que uma grande onda escura se aproximaria daquela região.

Ouvi então um sino tocar, que vinha da igreja ao centro do império. Era a sacerdotisa, que passeava protegida pelo exército avisando que o reino poderia ser abalado profundamente por grandes incertezas. O povo então foge das ruas e eu, sem entender nada, procuro um lugar para me esconder. Mas o que seria toda essa turbulência? O que poderia abalar tamanha energia positiva? Não sabia. Entrei em um bar, o primeiro lugar que vi, e me deparei com uma roleta enorme. Um velho senhor, que mais parecia um eremita de tão encolhido, disse que se tratava da roda da fortuna e que eu poderia tentar a sorte. Caso ela estivesse ao meu lado, um grande triunfo viria até a mim. Mas caso não estivesse, só iria facilitar a turbulência. Malandro esperto que sou, girei a roda e me veio uma imagem que significava a força. Quando fui perguntar o que era, só havia eu dentro do bar.

Sai correndo, procurando alguém, e tudo já estava diferente: a aura das estrelas deu lugar ao medo. O exército da nobreza já se preparava para lutar contra outro exército vermelho, pareciam o próprio diabo. Quando tudo parecia perdido, ouvi novamente a voz da cigana em minha mente. Ela dizia ser a temperança necessária para que eu passasse por esse período e evitasse enforcamentos com julgamentos futuros. Então, corri por entre a guerra até o palácio, temendo a morte que parecia ser cada vez mais ameaçadora. Às vezes, o que nós precisamos é de uma base sólida e de uma fortaleza para enfrentar os perigos. No palácio, subi uma torre e de lá pude ver tudo ao meu redor, sem ao menos acreditar.

A torre era a visão, me deu a dimensão de como as coisas foram acontecendo. Em algumas vezes, temos algumas incertezas, medo do julgamento. Porém, devemos seguir firmes e esperar. Então, a negatividade que se assolou pelo império foi se esvaindo com a força do exército do imperador: era o próprio sol para essa gente, a esperança que não devemos sucumbir aos dias ruins. Ao fim, ele e a imperatriz celebraram seu amor, feito dois enamorados, e a devoção pelo seu reino enquanto a lua espreitava tudo.

De repente, voltei a mim. Estava em frente à cigana, sem entender nada do que tinha se passado. Ela então explicou que o que eu vi era um resumo da vida: a bonança, a incerteza. O medo, o julgamento, a possibilidade de fortuna e a busca pelo refúgio. É, um bom malandro tem que saber bem onde pisa se quiser ter o mundo em suas mãos, nem que seja este mundo virtual, onde todo dia é carnaval.

 

INFORMAÇÕES DA DISPUTA DE SAMBA:

– O envio de sambas é permitido até o dia 30 de abril.
– Não há limites de compositores por parceria.
– Cada parceria deverá enviar letra e uma gravação do samba com duas passadas, sem necessidade de acompanhamento instrumental.
– Recomendamos aos compositores interessados que procurem os diretores ou o carnavalesco da escola para maiores informações sobre o enredo, inclusive acesso ao organograma de desfiles. Os contatos podem ser obtidos facilmente pelo grupo do carnaval virtual ou enviando mensagens para a escola por sua página no Facebook.
– O e-mail para envio da obra é [email protected] . Também serão aceitas obras enviadas diretamente para a presidência da escola por whatsapp.
– O samba campeão será anunciado no dia 02/05/2020.
– Os compositores estão cientes de que a obra campeã poderá sofrer alterações para melhor adequação ao enredo e desfile propostos, mas todas as alterações propostas serão decididas em parceria com os compositores, tendo o seu completo aval para que a obra não perca a essência de seus autores.

Comentários




    gl