GRESV Império de Niterói apresenta novidades para o Carnaval Virtual 2019

No Terceiro aniversário da escola de samba virtual: Império de Niterói, a escola está criando uma nova identidade e mudando o seu quadro para o carnaval 2019.

Com o Enredo: Caos, a escola abordará os problemas relacionados aos quatro elementos da natureza. Apontando todos os problemas que ocorrem e que a humanidade insiste em não ver e até onde iremos parar.
Com a colaboração de Marcos Felipe Reis da Império do Rio Belo, a Império de Niterói recebeu uma bela sinopse,  que aponta nossos problemas e o Caos que poderá ser instaurado em pouco tempo.
Pôster: Thiago Cardoso / Adaptação: Adalmir Menezes
Sinopse:
CAOS
Disseram um dia, que tudo era pra sempre, que teríamos as coisas como elas nos foram apresentadas.
Lamento muito terem dito isso um dia, pois a partir daí tudo mudou drasticamente. As pessoas começaram a se perder, numa briga constante e infunda umas com as outras a partir de um ego, cego, para se mostrarem mais que os outros. O caminho do caos foi aberto e ele está chegando, abraçando nossa mãe Gaia cada dia mais forte. Ninguém ouviu seu choro e angustiada, ela clama pela ajuda de seus ancestrais – os guardiões dos grandes quatro elementos primordiais. O homem agora brinca de divindade. Altera o ambiente, altera destinos, diminui vidas. Não prevê, mas quer julgar.
O mundo era coberto de água e dela emergiu a vida e toda sua diversidade. A água molda os seres, os espaços, as paisagens. É pureza, é alívio, o bem mais precioso. Hoje, entretanto, não somente os peixes nadam em águas antes cristalinas: o lixo toma conta de rios e oceanos, são iscas enganadoras para animais que também lutam contra os dejetos químicos que os cobrem. A espuma branca não é mais o sal do mar, é o resto da industrialização desenfreada e cruel que deixa escapar aos poucos pelas tubulações a diversidade aquática. Água também é sinônimo de desigualdade, de conflito, de interesses e de dor. O desolamento está presente entre pessoas, cidades e populações ribeirinhas. A lama hoje é dejeto, é uma onda de destruição que assola e assoreia vertentes do país das águas.
Aprendi um dia, que o homem era feita de barro. O mundo era coberto por água e quando esta abaixava, alguma força transcendental modelou o que viria a ser o ser humano. Tanto que ficamos “para a terra comer”, um dia vamos todos “virar pó”, “voltar ao seio da terra”. Agora, a terra está desbravada, desnuda e desmatada. Madeira explorada cruelmente, cerrada da conexão com a terra mãe, que anda soterrada e super povoada. O asfalto devora o verde, o solo já não vinga mais como antes, agora brota a indústria que mina os sonhos e faz corrida contra o tempo e com o dinheiro. E do outro lado o fogo arde sem ver, abrindo caminhos para o agro (novo) negócio.
O fogo acende no coração do homem a chama da inovação, da evolução. A chama do ego crepita na alma, aquecendo o progresso, a sede por mais modernidade. Porém, queimam-se os neurônios, as mentes delirantes e a atmosfera de nosso planeta que veste suas roupas de carbono, enxofre, ozônio. O ser humano virou Midas do fogo – tudo que toca fica seco e queima. Desfaz das pontas de cigarro nas matas, bem como fósforos acesos. Esquecem fogueiras e velas, soltam balões que inflamam o ar sem controle de onde vão cair ou incendiar. As plantas queimam, os rios secam, os lagos somem.
E o ar? Cadê meu ar? O elemento que movimenta, que impulsiona está sendo ironicamente sufocado. Sufocado pela queima de combustíveis, pelas fuligens do progresso. O ar fica seco, a fumaça das chaminés aprisiona e captura o nosso ar. São chaminés incansáveis, descargas ninja que em pequenos golpes lançam jatos tóxicos para os céus. O ar fica cada vez mais pesado, embaralhando o clima e se misturando em tornados e furacões que prendem nossa mente. E hoje, a Império de Niterói busca o sopro da esperança, veste o vermelho da luta para ser porta voz da natureza, unindo os quatro elementos e perguntar a você – na branca consciência que parece não pesar – Até quando vale a destruição do nosso bem maior, o planeta Terra, em nome do progresso e dos avanços? Até onde vai a ganância e o ego do ser humano?
REGULAMENTO CONCURSO DE SAMBA
1 – O Samba pode ser enviado de modo individual (1 Compositor) ou em Grupo;
2 – As palavras que deverão estar no samba são as seguintes: Império de Niterói, Coruja, Caos… O compositor terá total liberdade para compor o samba 2019, com base na sinopse.
2.1 – O enredo é a continuação do Gaia do Salgueiro. Então, sambas com a mesma pegada e andamento do samba do Salgueiro terá mais chance.
​2. 2- O nome da escola citada no samba é de extrema importância.
2. 3 – Não deve ser utilizado palavras que denigra as coirmãs e palavras de baixo calão.
​2. 4 – Os sambas enviados, deverão conter a letra e áudio cantado com 2 passagens, para que possamos saber o andamento.
​3 – A votação ainda será definida e informada através dos canais de comunicação: Facebook; Instagram; Site.
​3.1 – Haverá a divulgação dos sambas com o áudio.
3.2 – A divulgação dos sambas será através do Site, Facebook, Instagram, SoundCloud e Youtube, após ser informada e anunciada conforme o regulamento do Carnaval Virtual.
​4 – Os sambas deverão ser enviados para o e-mail: [email protected]; ou pelo WhatsApp: 21-97022-2855, com o nome do compositor ou compositores, acompanhamento musical (de preferência) ou cantada pelo compositor em 2 passagens e Letra.
5 – A Data da divulgação ainda não foi estabelecida pelo Carnaval Virtual.
6 – Receberemos sambas até o dia 31/01/2019.
Para o Carnaval 2019 a escola trás mudança em seu quadro:
Alex San’n que atuou como carnavalesco nos anos de 2017 – Jamaica e 2018 – A Pedra do Reino, para 2019, Alex não estará responsável pela criação do desfile em si, mas, recebeu o convite do presidente, e torna se o Diretor e Vice. O convite partiu do presidente pela boa atuação e conceito aplicado pelo Alex.
Para o cargo de carnavalesco, Rafael Menezes.  Rafael é repórter do canal Mais Carnaval no YouTube. Graduado em jornalismo e pós graduado em Figurino e Carnaval pela Veiga de Almeida. Rafael irá atuar como o novo carnavalesco e na criação do desfile de 2019 – Caos.
Para Intérprete, permanece o Wallace Buda.  Após o bom andamento do samba de 2018, Wallace dará voz mais uma vez no desfile de 2019 – Caos.
Já o presidente Thiago, permanece como Conselheiro de 5 escolas do grupo de acesso do carnaval virtual.

Comentários




    gl