Inspirações: A inspiração do menino rei Litoral

Por Renato Garcia*

Personagem da nossa colunaInspirações dessa semana Foto: Arquivo Pessoal

Mesmo em tempos de pandemia, seguimos conhecendo um pouco mais sobre os protagonistas da União das Escolas de Samba de Maquete, nossos carnavalescos e presidentes; e na coluna Inspirações de hoje, quem nos falará um pouco de sua experiência com a festa momesca será o querido Kleber Neves, que juntamente com sua esposa Vânia, fazem a alegria dos amantes do carnaval de maquete , representando o nordeste com a escola Acadêmicos do Litoral.
Como a maioria dos envolvidos com o mundo do samba, Kleber conta que ,quando criança, brincava de escola de samba com tampinhas de garrafas.  Lembra com carinho que , no imaginário infantil e lúdico, tentou reproduzir os desfiles da Unidos do Viradouro – E a magia da sorte chegou- e da Mocidade Independente – Sonhar não custa nada, ou quase nada…-ambos de 1992. Coincidência ou não, os versos do samba da verde e branco de Padre Miguel, que embalou essa brincadeira de criança se materializa hoje na Litoral, agremiação que integra a elite da UESM.

O desfile da Viradouro em 2020 emocionou o Carnavalesco da Litoral Foto: RioTur

Kleber é torcedor da Viradouro e nos conta que, pela televisão, desde os oito anos assistia os desfiles na companhia de sua mãe, torcedora da Beija- Flor, na época sob a batuta do mestre João Trinta. Mas foi só em 1991, quando a escola de Niterói estreia na Sapucaí , com uma bela homenagem à Dercy Gonçalves, que surgiu a paixão pela Unidos do Viradouro: “ foi amor à primeira vista”, relata. Para ele , o desfile deste ano foi o melhor não só da Viradouro, mas também o de 2020. O enredo sobre as ganhadeiras de Itapuã, sem dúvida foi arrebatador: tema bem contado, plástica perfeita, e a bateria comandada por mestre Ciça foi sensacional. Na opinião dele, a Viradouro não só deu a volta por cima, como voltou para , definitivamente, deixar os tempos de Acesso para trás!

Kleber e a sua esposa Vania: Os carnavalescos da Acadêmicos do Litoral

Acompanhado da mulher Vânia, ele fez esse ano o seu debu na avenida, assistindo o Grupo Especial de São Paulo. Como bom corintiano, pôde se emocionar com a Gaviões da Fiel, mas também sobrou fôlego para se impressionar com o desfile da Mocidade Alegre, escola desenvolvida por Edson Pereira, cuja plástica ele gostaria de levar para a Litoral; e finaliza dizendo que a Pérola Negra não merecia ter caído para o Grupo de Acesso…
Kleber entrou no carnaval de maquetes de uma maneira bem inusitada: fez uma filmagem e enviou para que passasse nos comentários do Escobar, durante a transmissão dos desfiles. A filmagem não passou, mas o amor ao carnaval falou mais alto, e hoje, eles fazem a Litoral por prazer. Assistente fiscal de profissão, Kleber ainda não teve a oportunidade de trabalhar com o carnaval real, porém , está aberto a convites….
Para esse ano, a escola Acadêmicos do Litoral, irá falar sobre a força da agricultura do Nordeste. Levando um nordeste agrícola, que planta desde trigo a uva. Kleber finaliza dizendo que os desfiles das escolas de samba são um show de cultura e emoção!

E para acompanhar os nossos desfiles, basta acessar o Facebook  e acompanhar com a gente. E semana que vem temos mais uma coluna Inspirações. Até lá.

Maiores informações acesse as nossas redes sociais:

Saiba mais sobre o Carnaval de Maquete da UESM

Página oficial
Facebook
Youtube
Instagram
*em colaboração voluntária ao SRZD

 

Comentários




    gl