CHATFOLIA: A VOLTA DE CHICO REI SOB AS ASAS DE XANGÔ

Do bairro do Hipódromo em Recife, para o nosso chat folia vem a Falcão Imperial. Em sua segunda participação na UESM ( União das Escolas de Samba de Maquete) promete um desfile crítico com uma lenda, um mito e um guerreiro em um enredo que tem tudo para dar certo. Larissa Rodrigues, este ano a frente da Vermelho e Branca abriu o Ninho do Falcão para nossas curiosidades. Confira abaixo o que ela disse sobre o desfile de 2019:

 

UESM:De onde surgiu o nome da escola, escolha do símbolo e das cores?

LARISSA: A Falcão Imperial foi fundada por Cláudio Sampaio Assunção em 28 de agosto de 1993. Escolheu o Falcão como símbolo, pela majestade que simboliza a ave  e as cores vermelha e branca em homenagem a escola de seu coração a Salgueiro. Nasceu no bairro da Mooca em São Paulo e a partir do ano de 2016 mudou sua sede virtual para O bairro do Hipódromo em Recife.O Imperial veio da vontade de seu fundador em fazer a escola grande. Pelo menos na GRESA ( Liga Regional Pernambucana) a escola é considerada a Majestade do Samba com 13 títulos.

UESM: O que o trouxe para a UESM?

LARISSA:Em 2016, assumi a presidência da GRESM. Império do Samba de Bauru entrando para o mundo de escolas de maquete. Em 2017 soube da UESM, mas apenas as três maiores escolas de nossa liga foram escolhidas ( GRESM. Bafo do Tatu, GRESM. Falcão Imperial e GRESM. Unidos da Paulicéia. O José Domingos ( Zé da Falcão), teve dificuldades em seu desfile e faltando semanas para o evento recebi a permissão de ajudar e faltando horas para o desfile ir ao ar em 2018, entreguei-o. Depois de nossa plenária interna troquei de presidência com o José, passando a cabeça da Falcão. E nos primeiros dias já tracei o projeto de 2019 para a escola.

UESM:Um enredo difícil que junta uma lenda a um mito. É um enredo profético?

LARISSA: É sim. E mais contemporâneo que nunca. Vamos mostrar a saga de Chico Rei, que tem ao seu lado o guiando para a Vitória em todas as batalhas o Orixá Xangô. O Falcão é uma das transfigurações do Orixá. Não é uma releitura do enredo da Salgueiro pois mostraremos o passar dos anos no Brasil com ele assistindo a estes fatos do plano espiritual. Retorna para lutar contra a volta da injustiça, contra a Neo-Escravidão e o Neo-Nazismo. Volta como Severino, em algum lugar de um Nordeste esquecido e desprezado pelo Governo Federal. Negro, pobre, sofrendo até com os preconceitos de gênero, novamente com a ajuda da ave de rapina, luta e passo a passo torna-Se o presidente desse país, tirando-o das trevas e da escuridão que infelizmente agora se encontra.

UESM: Qual a maior dificuldade que está enfrentando para fazer este trabalho?

LARISSA: Faculdade e trabalho. Longe de Recife em João Pessoa, tenho pouco tempo para fazer o projeto. Mas a escola vai sair. É preciso mostrar este enredo neste momento. É preciso que muitas pessoas assistam e acordem para a realidade que mergulhou o Brasil. E ele vai ser mostrado. Mesmo que seja entregue faltando apenas uma hora para o início, como ocorreu comigo ano passado.

UESM: Qual seria o grande momento ou surpresa que podemos esperar do desfile? Existe algum material diferente utilizado?

LARISSA: O símbolo da escola, tradicionalmente no abre-ALAS virá no último carro. Será um momento impactante pela crítica atual trazendo nas garras todos os males que precisam ser expurgados do Brasil. Sobre o material nada diferente, mas o objetivo é enganar os olhos de quem assistir, disfarçando materiais reciclados em algo novo na história do enredo.

Esta crítica tão necessária será contada pela Majestade do Recife. O samba utilizado será autoral de composição de Cláudio Sampaio Assunção ainda sem intérprete definido. A Falcão Imperial encerrará o desfile das escolas de samba de maquetedo Grupo B no sábado, dia 12 de outubro de 2019. E para saber mais, acesse: www.uesm.com.br

Saiba mais sobre o Carnaval de Maquete da UESM

Página oficial

Facebook

Youtube

Instagram

 

Comentários




    gl