Testemunha relata que Boechat pulou do helicóptero antes da queda

Helicóptero cai na Anhanguera, bate em caminhão e ao menos duas pessoas morrem. Foto: Reprodução de Internet

Helicóptero cai na Anhanguera, bate em caminhão e ao menos duas pessoas morrem. Foto: Reprodução de Internet

Uma testemunha afirmou na tarde desta segunda-feira (11) que presenciou o acidente que causou a morte do jornalista Ricardo Boechat. Segundo ela, um homem pulou do helicóptero antes da queda na Rodovia Anhanguera. Além de Boechat, o piloto do helicóptero, Ronaldo Quattrucci, também morreu no acidente. O motorista do caminhão sofreu ferimentos leves.

Leiliane Rafael da Silva afirmou ao jornal “Brasil Urgente” da Band que viu o momento em que ocorreu o acidente e que tentou ajudar. A aeronave em que estava o âncora do Jornal da Band bateu contra um caminhão antes de explodir.

“Eu vinha passando de moto na Anhanguera, sentido Cajamar. Falei para o meu esposo que o helicóptero parecia que iria cair. Vi uma pessoa pulando na pista. Na hora que falei que iria pegar fogo a carreta passou. Bateu de frente e a porta entrou no vidro, depois bateu no murinho, rodopiou e caiu em cima da pessoa que pulou”, declarou Leiliane, de 29 anos, que prestou depoimento na delegacia onde o caso foi registrado.

“Saí correndo e fui até lá. Fui a primeira a chegar. Tirei o moço do caminhão e fui ver lá. Tinha um pedaço na beirinha que desce, onde está a moto, e outro na pista. O que estava na pista tinha um homem acenando com o braço”, disse a testemunha, afirmando que a pessoa que pedia ajuda era Boechat.

Testemunha disse ter presenciado o momento do acidente. Foto: Reprodução/Brasil Urgente
Testemunha disse ter presenciado o momento do acidente. Foto: Reprodução/Brasil Urgente

“Ele estava debaixo de uns pedaços. Tinha várias peças em cima. Eu ia ajudar, mas um moço de laranja disse para não pegar ele, pois eu eu ia cair no fogo”, completou Leiliane.

Em imagens que circulam nas redes sociais, Leiliane aparece tentando ajudar o motorista do caminhão que acertou o helicóptero na rodovia. Ela diz que gostaria de ter salvado as vítimas fatais, mas não conseguiu.

“O helicóptero estava muito baixo, perto do viaduto. Se o helicóptero não tivesse caído em cima dele [Boechat] tinha sobrevivido. Não tinha o que fazer, mas ele estava vivo. Eu queria salvar ele porque o piloto não pulou, ficou dentro do helicóptero”, declarou.

A aeronave que levava Ricardo Boechat saiu de Campinas, no interior paulista, e seguia para o Grupo Bandeirantes, no bairro do Morumbi, na Zona Sul da capital paulista.

Leia também:

– Jornalistas, políticos e artistas lamentam morte repentina de Ricardo Boechat

– ‘Negligência e impunidade marcam as tragédias no país’, disse Boechat em seu último programa

– Mulher de Boechat faz homenagem ao marido: ‘Pior dia da minha vida’ 

Comentários




    gl