Butantan pede à Anvisa aprovação de mais 4,8 milhões de doses da Coronavac

Coronavac. Foto: Nelson Almeida/Reprodução

Coronavac. Foto: Nelson Almeida/Reprodução

O governador João Doria confirmou nesta segunda-feira (18), durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, que o Instituto Butantan pediu à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o registro emergencial para um segundo lote de 4,8 milhões de novas doses da vacina contra o novo Coronavírus desenvolvida pela instituição em parceria com a biofarmacêutica Sinovac.

“A autorização para o uso emergencial que a Anvisa concedeu ontem (17) era exclusivamente válida para as 6 milhões de doses da vacina, todos elas já distribuídas ao Ministério da Saúde. Estamos seguros que essa nova análise será feita com o mesmo critério, o mesmo cuidado e a mesma agilidade com que ontem liberaram a vacina do Butantan, a vacina do Brasil”, disse o tucano.

Segundo o Diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, o pedido de autorização do uso emergencial do segundo lote abrangerá um número ainda maior de doses.

“A primeira partida é de 4 milhões e 800 mil já em disponibilidade na medida em que for feita essa segunda autorização. Uma vez aprovado, daí a produção do Butantan será feita de acordo com essa autorização, isto é, não haverá a necessidade de todo o lote ser requisitado (o pedido emergencial), podendo chegar a uma produção adicional de 35 milhões de doses”, explicou.

Neste domingo (17), logo após autorização da Anvisa, o Butantan colocou à disposição do PNI (Programa Nacional de Imunização) cerca de 6 milhões de doses, das quais 1,4 milhão foi destinada ao Estado de São Paulo e 4,6 milhões para os demais estados da federação, conforme definido em entendimentos feitos entre o Instituto e o próprio Ministério da Saúde.










Comentários

 




    gl