Santa Catarina adota protocolo para escolher qual paciente terá tratamento em UTI

UTI. Foto: Reprodução

A Secretaria de Saúde de Santa Catarina decidiu adotar um protocolo para filtrar quais pacientes com Covid-19 que aguardam na fila de UTI serão transferidos e quais vão receber um tratamento paliativo. A medida ocorre após mais de um mês de lotação em hospitais do sistema de saúde do estado.

Segundo informações do jornal “O Estado de São Paulo”, Santa Catarina vai seguir os critérios da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib), da Associação Brasileira de Medicina de Emergência, da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia e da Academia Nacional de Cuidados Paliativos. As entidades lançaram em maio de 2020 uma lista de recomendações sobre como salvar o maior número de vidas em meio a um momento de esgotamento do sistema de saúde.

O primeiro critério da triagem é a gravidade da doença aguda. Os profissionais de saúde deverão avaliar quantos órgãos foram afetados e quão gravemente. Outro fator observado é se a pessoa tem outras doenças de base, crônicas e muito avançadas.

O terceiro critério é o de funcionalidade, quando é avaliado quão bem a pessoa está fisicamente para aguentar a doença e o próprio tratamento em UTI, que é bastante agressivo.

Com a adoção do novo protocolo, pacientes que se enquadram na primeira prioridade terão preferência aos leitos de UTIs. Com isso, serão atendidos primeiro aqueles que necessitam de intervenções de suporte à vida, com alta probabilidade de recuperação e sem limitação de suporte terapêutico.

Santa Catarina teve 233 mortes registradas na fila de UTI só em janeiro, fevereiro e março. Ao todo, mais de 10 mil pessoas morreram por Covid-19 no estado e 798 mil já foram infectadas.

Comentários

 




    gl