Divulgação do relatório sobre anulação de votos foi arquitetada por Bolsonaro

Urnas eletrônicas. Foto: José Cruz/Agência Brasil

Urnas eletrônicas. Foto: José Cruz/Agência Brasil

A divulgação do relatório apresentado pelo presidente do PL, Valdemar Costa Neto, nesta terça-feira (22) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), foi articulada por Jair Bolsonaro, segundo a jornalista Thaís Oyama, do UOL.

“Na semana anterior ao feriado do dia 15 de novembro, Bolsonaro chamou o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, ao Palácio da Alvorada para dizer-lhe que apressasse a conclusão do documento — ele queria vê-lo divulgado nesta semana, como ocorreu ontem, às 16h”, conta a reportagem.

De acordo com a representação do PL, mesmo sem apresentar provas, há “desconformidades irreparáveis e evidências contundentes de mau funcionamento de urnas eletrônicas” em parte das urnas utilizadas no segundo turno. Não fossem os erros, Bolsonaro teria vencido o agora presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, com pouco mais de 51% dos votos, afirma o relatório feito pela auditoria contratada pela sigla junto ao Instituto Voto Legal.


Leia também:

+ Após pedido de anulação de votos, Lula diz que Brasil precisa de democracia

+ ‘Que fique cego’, diz bolsonarista a pai impedido de levar filho para cirurgia


Bolsonaro ainda teria determinado quais seriam os papéis de Valdemar, do engenheiro Carlos Rocha, do advogado do PL, Marcelo Bessa, e do marqueteiro Duda Lima na divulgação do relatório.

A publicação ainda aponta que foi ordem de Bolsonaro que a divulgação do documento fosse transmitida pelas redes sociais do PL, para facilitar o compartilhamento em grupos bolsonaristas.

Moraes reagiu rápido

Em decisão rápida, o ministro Alexandre de Moraes, presidente do TSE, deu 24 horas para que a legenda inclua no relatório o pleito em primeiro turno.

“As urnas eletrônicas apontadas na petição inicial foram utilizadas tanto no primeiro turno, quanto no segundo turno das eleições de 2022. Assim, sob pena de indeferimento da inicial, deve a autora aditar a petição inicial para que o pedido abranja ambos os turnos das eleições, no prazo de 24 horas”, determinou.

Bolsonaro vai ao Planalto após 20 dias

O presidente Jair Bolsonaro saiu do Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, pela primeira vez desde 3 de novembro.  Na agenda oficial divulgada pela Presidência, o presidente tem audiência no Palácio do Planalto com o ex-ministro do Desenvolvimento Regional e senador eleito pelo Rio Grande do Norte, Rogério Marinho. A pauta da conversa não foi revelada.

Comentários

 




    gl