Condenado e preso na Lava Jato, Eduardo Cunha declara voto em Bolsonaro

Eduardo Cunha. Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Eduardo Cunha (PTB), ex-presidente da Câmara dos Deputados, afirmou que votará em Jair Bolsonaro (PL) nas eleições presidenciais que ocorrerão em outubro deste ano. Em entrevista, nesta terça-feira (24), ao programa Pânico da rádio Jovem Pan, ele ainda se declarou contrário ao PT.

A questão não é gostar ou não dele. O Bolsonaro representa hoje aquilo que estou enfrentando, que é o PT. Eu sou antipetista”, disse. O parlamentar aposta ainda que o resultado das eleições para presidente da República seja definido no primeiro turno.

No entanto, essa não é a primeira vez que Cunha declara apoio ao atual presidente. Já no ano passado, ele declarava voto a Bolsonaro. De acordo com aliados, ele ainda considera o desejo de voltar à política, tendo em mente um projeto de candidatura à Câmara de São Paulo. O parlamentar planeja ainda a pré-candidatura da filha, Danielle, à Câmara pelo estado carioca.

Para quem não se recorda, Eduardo Cunha conduziu o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), em 2016. No mesmo ano, ele renunciou ao cargo de presidente da Câmara e teve o mandato cassado por denúncias de corrupção.

O parlamentar ficou preso por quatro anos, sendo um deles em prisão domiciliar. Ele foi condenado a 15 anos e 4 meses devido a denúncias da Operação Lava Jato. Cunha está livre desde maio de 2021.

Leia também:

+ Sergio Moro vira réu em ação de deputados por atuação na Lava Jato

+ Com desistência de Doria, nome de Eduardo Leite ganha força no PSDB

Comentários

 




    gl