Corrupção na Agricultura: PF prende vice-governador de MG, executivos da JBS e outros

Joesley Batista. Foto: Reprodução de Internet

Joesley Batista. Foto: Reprodução de Internet

A Polícia Federal cumpre, na manhã desta sexta-feira (09), 19 mandados de prisão temporária e 63 de busca e apreensão. Parte da Operação Capitu, as ordens foram deflagradas no Distrito Federal e nos estados de Mato Grosso, Minas Gerais, Paraíba, Rio de Janeiro e São Paulo. Entre os envolvidos que receberam voz de prisão, estão o vice-governador de Minas Gerais, Antonio Andrade (MDB), e três executivos da JBS.

A Operação Capitu é em mais um desdobramento da Operação Lava Jato. Na ramificação, é apurado um complexo esquema de corrupção e pagamento de propina no Ministério da Agricultura. A ação criminosa teria ocorrido no período em que Andrade estava à frente da pasta. Ele comandou o Ministério entre março e dezembro de 2014.

De acordo com as investigações, foi criado um esquema de arrecadação de propina dentro do Ministério da Agricultura. Os beneficiados desse arranjo eram integrantes do MDB, que recebiam dinheiro da JBS, dos irmãos Joesley e Wesley Batista. Em troca, os políticos providenciavam medidas para beneficiar as empresas do grupo. A operação foi baseada na delação de Lúcio Funaro, operador do MDB.

Delação de Joesley Batista

Em 2017, um áudio gravado por Joesley Batista durante uma conversa com o presidente Michel Temer, trouxe uma nova atenção para a Lava Jato. Além disso, o caso deflagrou a maior crise política do governo Temer.

Ainda no último ano, o empresário delatou, à Procuradoria-Geral da República, que atuou em esquema de corrupção junto ao Ministério da Agricultura. De acordo com Joesley, participaram também o ex-deputado Eduardo Cunha (MDB-RJ) e Lúcio Funaro.

Comentários




mais notícias

    gl