Petrobras contradiz Bolsonaro sobre reajuste no preço do combustível

Petrobras. Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

Petrobras. Foto: Tânia Rêgo- Agência Brasil

A Petrobras divulgou um comunicado nesta segunda-feira (6) afirmando que não antecipa decisões sobre reajustes nos preços dos combustíveis e que não há nenhuma decisão tomada que ainda não tenha sido anunciada ao mercado.

A declaração ocorre um dia após o presidente Jair Bolsonaro afirmar ao site “Poder 360” que os preços deveriam cair nos próximos dias.

“A Petrobras começa esta semana a anunciar a redução no preço do combustível. Nesta semana já começa a anunciar”, disse o presidente.

Bolsonaro falou sobre o assunto enquanto acompanhava a final do campeonato de futebol do Minas Brasília Tênis Clube, em Brasília. Ele entrou em campo para dar o chute inicial da partida.

“A gente anuncia agora, esta semana, pequenas reduções, a princípio toda semana, do preço dos combustíveis”, reforçou Bolsonaro.

O que diz a Petrobras

“A Petrobras, em relação às notícias veiculadas na mídia a respeito de expectativa de novos reajustes nos preços de combustíveis, esclarece que ajustes de preços de produtos são realizados no curso normal de seus negócios e seguem as suas políticas comerciais vigentes”, diz a nota.

A estatal também afirmou que “reitera seu compromisso com a prática de preços competitivos e em equilíbrio com o mercado, ao mesmo tempo em que evita o repasse imediato das volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais”.

Nos últimos dias, analistas do mercado financeiro vinham especulando um possível corte nos preços dos combustíveis devido à queda do preço no petróleo no mercado internacional.

O preço do barril do petróleo tipo brent – usado como referência para a Petrobras – fechou em US$ 69,88 na última sexta-feira. Nesta segunda, porém, houve um aumento de mais de 2%.

O último reajuste nos preços dos combustíveis pela Petrobras foi anunciado em outubro.

Leia também:

+ Presidente do PSB cita condições para concretizar a chapa Lula-Alckmin

Comentários

 




    gl