Paulo Guedes fala em considera implementar ‘imposto do pecado’

Paulo Guedes.Paulo Guedes. Foto: Marcos Corrêa/PR Foto: Marcos Corrêa/PR

Paulo Guedes. Foto: Marcos Corrêa/PR

O ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou nesta quinta-feira (23), durante painel no Fórum Econômico de Davos, na Suíça, que a sua equipe está considerando a implantação de um “imposto do pecado”, que incidiria sobre cigarros, bebidas alcoólicas e produtos com adição de açúcar.

“Eu pedi para simular tudo. Bens que fazem mal para a saúde. Caso [as pessoas] queiram fumar, têm hospital lá na frente”, afirmou o ministro.

Paulo Guedes também citou sorvetes, chocolates e refrigerantes. Segundo ele, o termo vem de uma expressão em inglês: “Não é nada de costumes, Deus me livre”.

O ministro ainda declarou que, retornando ao Brasil, a reforma tributária deve ser levada adiante, com um encaminhamento no Congresso em 20 ou 30 dias. “A gente volta para o Brasil e já começa a bater o martelo”, garantiu.

De acordo com Guedes, a ideia é que se forme uma comissão mista, de 15 deputados e 15 senadores, para realizar a tramitação.

Comentários




    gl