Pastora Damares comandará Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos

Damares Alves. Foto: Reprodução

Damares Alves. Foto: Reprodução

A advogada e pastora Damares Alves foi confirmada como ministra de uma nova posta criada para o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. A partir do dia 1º de janeiro, ela estará a frente do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos. O anúncio foi realizado nesta quinta-feira (06) pelo ministro de transição, Onyx Lorenzoni.

Entre as atribuições do novo ministério, estará a Fundação Nacional do Índio (Funai) — responsável pela criação de políticas voltadas para os povos indígenas e demarcação de terras dessa população.

Ainda que seu ministério abranja diversos assuntos, Damares destacou que pretende priorizar pautas de políticas públicas para mulheres. De acordo com a futura ministra, o objetivo de seu ministério será avançar em metas que ainda não foram alcançadas. Ela propôs, também, um pacto nacional pela infância.

Ministérios definidos

O presidente eleito já possui 20 ministros definidos para o seu governo. São eles: General Augusto Heleno, para o Ministério de Segurança Institucional; André Luiz de Almeida Mendonça para a Advocacia-Geral da União; General Carlos Alberto dos Santos Cruz, na Secretaria de Governo; Damares Alves, como monistra da Mulher, Família e Direitos Humanos; Ernesto Fraga Araújo, no Ministério das Relações Exteriores; General Fernando Azevedo e Silva, no Ministério da Defesa; Gustavo Bebianno para ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência; Gustavo Canuto no Ministério de Desenvolvimento Regional e Luiz Henrique Mandetta para o Ministério da Saúde.

Marcelo Álvaro Antônio, como ministro de Turismo; Marcos Pontes, que assumirá o Ministério de Ciência e Tecnologia; Paulo Guedes, para o super-ministério de Economia; Osmar Terra, no Ministério da Cidadania; Onyx Lorenzoni como ministro da Casa Civil; Ricardo Vélez Rodríguez no Ministério da Educação; Roberto Campos Neto para o Banco Central; Sérgio Moro, que comandará a pasta de Justiça e Segurança Pública; Tarcísio Gomes de Freitas no Ministério da Infraestrutura; Tereza Cristina, que estará à frente do Ministério da Agricultura; e Wagner Rosário, à frente do Ministério da Controladoria-Geral da União.

* Com informações da Agência Brasil

Comentários




mais notícias

    gl