‘Ninguém receberá a vacina primeiro que Manaus’, diz Eduardo Pazuello

Eduardo Pazuello. Foto: Carolina Antunes/PR

O ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, afirmou que a vacinação contra a Covid-19 começará por Manaus neste mês de janeiro.

Segundo ele, serão distribuídas cerca de oito milhões de doses, três ou quatro dias após a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso do imunizante.

“Senhores, vamos vacinar em janeiro e Manaus será a primeira a ser vacinada. Ninguém receberá a vacina primeiro que Manaus”, disse, em pronunciamento à imprensa nesta quarta-feira (13).

“A vacina será distribuída simultaneamente em todos os estados, na sua proporção de população, e Manaus terá essa prioridade”, reforçou o ministro da Saúde.

Apesar de garantir a vacinação para este mês, o ministro não informou em que data terá início o plano de imunização. Anteriormente, Pazuello afirmou que a vacinação ocorreria “no dia D e na hora H”.

Após o pronunciamento de Pazuello, o ministério esclareceu que a vacinação em Manaus ocorrerá como em outros locais do país, de forma “simultânea e proporcional”, e que não haverá diferença de data e nem de quantidade de doses em comparação com outras cidades. Haverá apenas diferença de horário, por causa do fuso.

O ministro ainda alertou que a população deverá compreender que o início da imunização não significa ir para “rua fazendo festa”.

“A vacina induz a produção de anticorpos, essa é a função da vacina, ela vai induzir a produção de anticorpos. Quem produz os anticorpos é o próprio ser humano. Essa produção de anticorpos não é no dia seguinte. A literatura fala de 30 a 60 dias. Não é tomar a vacina no dia 20 e no dia 22 estar na rua fazendo festa. Nem vai resolver o problema da infraestutura e do tratamento precoce de Manaus”, destacou Pazuello.

Leia também:

– João Doria irá à Justiça se Anvisa barrar a Coronavac










Comentários

 




    gl