Mourão contesta Bolsonaro e defende isolamento social contra pandemia

Jair Bolsonaro e Hamilton Mourão. Foto:

O presidente Jair Bolsonaro e o vice-presidente, general Hamilton Mourão, durante cerimônia de nomeação dos ministros de Estado, no Palácio do Planalto. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Após o presidente Jair Bolsonaro defender, em seus discursos, a “volta à normalidade” e o “fim do confinamento em massa” como medida de prevenção ao novo Coronavírus, o vice-presidente, Hamilton Mourão, afirmou nesta quarta-feira (25) que o chefe do Executivo pode ter se expressado de uma forma que “não foi a melhor”.

Durante entrevista coletiva para apresentar ações do Conselho da Amazônia, Mourão defendeu que a posição do governo “continua” sendo a de isolamento e distanciamento social, conforme orienta a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde.

“A posição do nosso governo por enquanto é uma só. A posição do governo é o isolamento e distanciamento social. Está sendo discutido, e ontem [terça-feira] o presidente buscou colocar e pode ser que ele tenha se expressado de uma forma que, digamos assim, não foi a melhor”, disse Mourão.

Antes da declaração, Mourão havia convocado uma coletiva de imprensa e, depois de 36 profissionais de imprensa reunidos, não apareceu, avisando que daria declarações via conferência.

As falas de Bolsonaro sobre o tema já abriram discussões sobre um possível impeachment por crime de responsabilidade e, enquanto se especula essa possibilidade, o vice-presidente adota um discurso completamente oposto ao do chefe. De acordo com Mourão, Jair Bolsonaro se “expressou mal”.

Comentários

 




    gl