Megaoperação da polícia deixa sete suspeitos mortos em comunidades no Rio

Polícia Militar faz ampla operação em comunidades no Rio. Foto: Reprodução/Facebook

Polícia Militar faz ampla operação em comunidades no Rio. Foto: Reprodução/Facebook

Uma megaoperação com foco nos complexos do Alemão e da Penha, na Zona Norte do Rio, foi deflagrada pela Polícia Militar, nas primeiras horas desta terça-feira (27). Até o momento, sete suspeitos foram mortos e outras seis pessoas foram baleadas, incluindo dois policiais.

O objetivo da ação é capturar lideranças da facção criminosa, que, segundo a PM, promove a maior parte dos conflitos armados e tentativas de expansão territorial na capital e no interior do estado. Houve relatos de trocas de tiros. Cinco fuzis, três pistolas, sete rádios, um veículo e drogas foram apreendidos.

Os policiais tentam prender chefes da facção Comando Vermelho responsáveis pelas recentes disputas por territórios, principalmente na Zona Oeste da capital, de acordo com o G1.

Outras comunidades próximas também são alvos da ação, como Flexal, Trem, Engenho da Rainha, Juramento, Juramentinho, Ipase, Guaporé, Tinta, Quitungo e Cidade de Deus.

Pelas redes sociais, a PM-RJ publicou imagens de barricadas que teriam sido colocadas em vias de acesso às comunidades para dificultar a entrada dos veículos policiais. Em imagens que circulam nas redes sociais é possível ver o desespero dos moradores com os tiroteios.

“Estamos determinados a reprimir o crime organizado e prender seus integrantes, visando garantir a segurança não só das regiões Norte e Oeste, mas também da Baixada Fluminense e de várias cidades do interior do Estado”, postou a PM-RJ.

Por causa da ampla operação, 16 escolas municipais no Complexo da Penha suspenderam, as aulas, afetando 4.894 alunos. No Alemão, 20 unidades, também do município, estão sem funcionar, afetando 7.185 alunos.

De acordo com o Rio Ônibus, 15 linhas de ônibus municipais deixaram de circular na manhã desta terça-feira, uma vez que a garagem da Viação Nossa Senhora de Lourdes, na Penha, fica na linha de tiro.

Participam das ações equipes do Comando de Operações Especiais (COE), unidades dos 1º e 2º Comandos de Policiamento de Área (CPAs) e da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP).

Comentários

 




    gl