Internado, Roberto Jefferson pede licença por prazo indeterminado da presidência do PTB

Roberto Jefferson. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Internado com febre, pressão baixa, acúmulo de líquido nas pernas e dor no fígado em uma unidade do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, na Zona Norte, onde está preso, o ex-deputado Roberto Jefferson pediu licença por prazo indeterminado da presidência do PTB Nacional, enquanto durar a prisão preventiva. Ele apoia a vice, Graciela Nienov, para assumir o cargo.

O pedido foi feito em carta divulgada por aliados neste domingo (24). No documento, Jefferson alega que há conspiração de minorias e cita estados como Alagoas e Mato Grosso. Ele cita o deputado estadual Antonio Albuquerque, que é classificado como tendo uma “longa história de pistolagem e várias acusações de homicídios”.

O ex-deputado alega ainda que o deputado federal Nivaldo Albuquerque, filho de Antonio, é uma “donzela virginal”. Jefferson lembra ainda que tem fotos suas com arma na mão praticando tiro, mas nunca praticou uma lesão. Enfatiza quem já foi baleado foi Nivaldo e “Deus o salvou”. E ressalta uma luta do “bem contra o mal”.

Jefferson está internado no Pronto Socorro Geral Hamilton Agostinho, no Complexo de Gericinó, para a realização de um exame de ultrassonografia marcado para a próxima terça-feira (26). De acordo com a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), o estado de saúde dele é estável.

Segundo advogados, o presidente do PTB corre risco de morte e precisa ser transferido novamente ao Hospital Samaritano Barra, onde ficou de 4 de setembro a 14 de outubro e passou por um cateterismo.

Comentários

 




    gl