Gilmar Mendes ao arquivar investigação da Lava Jato: ‘Estão fumando erva estragada’

Gilmar Mendes. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Gilmar Mendes. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Na tarde desta terça-feira (6) a segunda turma do Supremo Tribunal Federal julgou a suspensão de ação penal contra o ministro do Tribunal de Contas da União, Vital do Rêgo Filho.

O político e ex-senador da Paraíba foi denunciado, em 2016, no âmbito da Lava Jato, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, por suposta cobrança de propina de empreiteiras.

O ministro Gilmar Mendes votou pelo arquivamento das investigações e pelo trancamento da ação penal. Ao proferir seu voto, criticou a denúncia, afirmando que o Ministério Público não conseguiu demonstrar o recebimento de recurso financeiro indevido e se utilizou de fatos descontextualizados e desconexos na acusação: “Os autores dessa denúncia andam bebendo e fumando coisas estragadas”, ironizou Gilmar.

Por 3 votos a 2, o colegiado aceitou o pedido de arquivamento feito pela defesa; Gilmar Mendes, Nunes Marques e Ricardo Lewandowski formaram a maioria, contra Edson Fachin e Cármen Lúcia.

Comentários

 




    gl