Facebook tira do ar rede de páginas e usuários ligados ao MBL

Facebook. Foto: Reprodução de Internet

Facebook. Foto: Reprodução de Internet

O Facebook retirou do ar  uma rede de páginas e contas usadas para divulgação de notícias falsas por membros do grupo ativista de extrema-direita Movimento Brasil Livre (MBL)

Em comunicado divulgado nesta quarta-feira (25), a rede afirma ter desativado 196 páginas e 87 contas no Brasil por sua participação em “uma rede coordenada que se ocultava com o uso de contas falsas no Facebook, e escondia das pessoas a natureza e a origem de seu conteúdo com o propósito de gerar divisão e espalhar desinformação”. O texto não identifica as páginas ou usuários envolvidos.

Segundo a Reuters, fontes, que falaram sob condição de anonimato, disseram que a rede era administrada por membros importantes do MBL. O grupo ganhou destaque ao liderar protestos em 2016pelo impeachment da então presidente Dilma Roussefff com um estilo agressivo de política online que ajudou a polarizar o debate no Brasil.

De acordo com a reportagem, a rede social excluiu perfis como “Jornalivre” e “O Diário Nacional”. Juntas, as páginas desativadas tinham mais de meio milhão de seguidores. Os conteúdos compartilhados variavam de notícias sensacionalistas a temas políticos, com abordagem conservadora. Em nota oficial, o MBL afirmou que o Facebook está censurando páginas de direita.

A decisão do Facebook está relacionada a uma série de medidas adotadas pela rede social contra a disseminação de notícias falsas. O objetivo da companhia é reprimir perfis enganosos antes das eleições no país.

No ano passado, a empresa reconheceu que sua plataforma foi usada para o que chamou de “operações de informação” que utilizaram perfis falsos e outros métodos para influenciar a opinião pública durante a eleição norte-americana de 2016, e prometeu combater as fake news.

Comentários




    gl