‘Estamos noivando’: Regina Duarte fará teste na Secretaria de Cultura de Bolsonaro

Bolsonaro se encontra no Regina Duarte. Foto:: Reprodução/Twitter

Bolsonaro se encontra no Regina Duarte. Foto:: Reprodução/Twitter

A atriz Regina Duarte afirmou que começa, nesta quarta-feira (22), o período de testes na Secretaria Especial da Cultura. De acordo com o Palácio do Planalto, ela estará em Brasília para conhecer a Secretaria Nacional de Cultura do governo federal.

“Após conversa produtiva com o presidente Jair Bolsonaro, Regina Duarte estará em Brasília na próxima quarta-feira, 22, para conhecer a Secretaria Especial da Cultura do governo federal”, disse o Planalto em nota que não deixa claro se ela irá assumir a pasta”.

“Estamos noivando”, disse a artista após o encontro com o presidente no Rio de Janeiro. Bolsonaro esteve na capital fluminense, nesta segunda (20), para uma reunião com o prefeito Marcelo Crivella.

“Nós vamos noivar, vou ficar noiva, vou lá conhecer onde eu vou habitar, com quem que eu vou conviver, quais são os guarda-chuvas que abrigam a pasta, enfim, a família. Noivo, noivinho. Quero que seja uma gestão para pacificar a relação da classe com o governo. Sou apoiadora deste governo desde sempre e defendo a classe artística desde os 14 anos”, disse à coluna de Mônica Bergamo, no jornal “Folha de S. Paulo”.

A atriz foi convidada para assumir a pasta após a demissão de Roberto Alvim. Ele caiu após críticas de todo o espectro político a um vídeo que publicou para divulgar o Prêmio Nacional das Artes. O texto lido pelo ex-secretário tinha frases copiadas de um discurso do ministro da Propaganda da Alemanha nazista,
Joseph Goebbels.

O nome de Regina Duarte surgiu no mesmo dia, como favorito para a vaga. De acordo com o blog de Natuza Nery, a atriz afirmou que queria uma conversa “olho no olho” do presidente antes de se decidir sobre a vaga.

Em 2018, na campanha de Jair Bolsonaro, Regina Duarte participou de um ato a favor do então candidato do PSL na Avenida Paulista. Em entrevista ao jornal “O Estado de S. Paulo”, no período eleitoral, ela afirmou que Bolsonaro é “um cara doce, um homem dos anos 1950, como meu pai, e que faz brincadeiras homofóbicas, mas é da boca pra fora.”

Comentários




    gl