Eduardo Paes chama prefeito Crivella de mentiroso ao dizer que ele não deixou dinheiro em caixa

Eduardo Paes. Foto: Agência Brasil

Eduardo Paes. Foto: Agência Brasil

Em live promovida pelo jornal “O Dia”, nesta quarta-feira (27), o pré-candidato a prefeito do Rio Eduardo Paes (DEM) mostrou-se inconformado ao ser questionado sobre a afirmação do atual prefeito da cidade, Marcello Crivella, que tem dito que pegou o governo sem dinheiro em caixa.

+ Paes critica Crivella por preconceito contra o Carnaval: ‘Acho que tem condições de dar subsídio’

“Ele é mentiroso, e não sou eu quem estou dizendo, e, sim, o Tribunal de Contas. Deixamos R$ 500 milhões em caixa”, disse Paes. A transmissão foi mediada pelo jornalista Sidney Rezende, que é colunista do jornal e diretor do SRzd.

A entrevista teve a participação da repórter Bruna Fantti, que durante a última campanha ao governo estadual, acompanhou Eduardo Paes na disputa contra Wilson Witzel, atual governador.

Live com Sidney Rezende, Eduardo Paes e a repórter Bruna Fantti

Outra declaração importante dada por Eduardo Paes é  que apesar de um “ano econômico difícil”, se ele for eleito não fará aumentos de impostos para enfrentar a queda de arrecadação. Pelo contrário. Paes afirmou que, na direção contrária a do prefeito Marcelo Crivella, que aumentou o IPTU, ele reduzirá o imposto em áreas da cidade que tiveram um reajuste que apontou como excessivo (em casos, disse, aumentos de até 10 vezes). Ele citou bairros da Zona Oeste, como Campo Grande e Sepetiba, e da Zona Norte, como Méier e Irajá, entre outros.

Paes afirmou ainda que governou a cidade por oito anos e não teve problemas: pagou servidores, fornecedores, e investiu. O pré-candidato rechaçou a crítica de quem diz que ele governou em período economicamente positivo, argumentando que o PIB sofreu quedas mais acentuadas nos anos de 2015 e 2016, quando ele administrava a cidade. Ele afirmou que há caminhos para contornar a queda de arrecadação, como a revisão de isenções, gerir melhor a dívida ativa e combater a sonegação.

“Vou botar o governo para funcionar. Crivella, que prometeu cuidar das pessoas, destruiu a vida das pessoas. Eu garanto que boto a prefeitura para funcionar”.










Comentários




    gl