Deputados que invadiram hospital no Anhembi são registrados em B.O com infração de medida sanitária

Deputados no hospital do Anhembi. Foto: Reprodução de Internet

A Polícia Civil registrou boletim de ocorrência sobre a invasão do hospital de campanha do Anhembi por deputados estaduais de São Paulo como infração de medida sanitária preventiva, artigo 268 do Código Penal.

De acordo com o artigo, que trata da infração de determinação do poder público destinada a impedir propagação de doença contagiosa, os deputados podem pegar detenção de um mês a um ano e multa.

O boletim de ocorrência, feito a partir de depoimento de João Guilherme Moura, gerente administrativo do Iabas (empresa que administra o hospital de campanha), diz que os deputados Adriana Borgo (Pros), Marcio Nakashima (PDT), Leticia Aguiar (PSL), Coronel Telhada (PP) e Sargento Neri (Avante), por volta das 14h, “compareceram ao local visando fiscalizar os trabalhos realizados”.

O documento diz ainda que os deputados foram impedidos de entrar, já que não usavam equipamentos exigidos, mas, “mesmo assim acabaram desobedecendo a ordem e filmaram o local, inclusive os pacientes hospitalizados”.

A Prefeitura de São Paulo afirmou em nota que “os deputados e assessores invadiram o HMCamp do Anhembi de maneira desrespeitosa, agredindo pacientes e funcionários verbal e moralmente, colocando em risco a própria saúde porque inicialmente não estavam usando EPIs e a própria vida dos cidadãos que estão internados e em tratamento na unidade.”

Ainda de acordo com a gestão municipal, os deputados filmaram as alas do hospital que ainda não foram ativadas “e gravaram pacientes sem autorização prévia, muitos dos quais estavam sendo higienizados em seus leitos”.










 

Comentários




    gl