Demissão de ministro teve relação com financiamento de sites pró-governo

Carlos Alberto Santos Cruz. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Carlos Alberto Santos Cruz. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O general Carlos Alberto dos Santos Cruz foi demitido da Secretaria de Governo do Palácio do Planalto na última quinta-feira (13). A decisão foi atribuída a uma “falta de alinhamento político-ideológico” e embates com outros integrantes do próprio governo.

Segundo fontes do jornal “O Globo”, um dos elementos-chave que levaram a saída do ministro foi o controle da comunicação governamental e a relação do governo com blogs e sites alinhados abertamente com o Palácio do Planalto .

A questão decisiva para que o presidente afastasse o general teria envolvido o chefe da Secretaria de Comunicação da Presidência (Secom), Fabio Wajngarten, homem de confiança de Carlos Bolsonaro, filho do presidente e vereador no Rio. Segundo a publicação, Santos Cruz representava um obstáculo para vários projetos de Wajngarten, entre eles o de intensificar o financiamento de blogs e sites que defendem o governo.

“O racha final foi pelo controle da comunicação e principalmente pela intenção de uma ala do bolsonarismo liderada por Carlos de financiar meios ideologicamente identificados com o governo”, concluiu a fonte.

Em carta, Santos Cruz, que foi substituído pelo general do Exército Luiz Eduardo Ramos Baptista Pereira, deixou claro que sai do cargo “por decisão” de Jair Bolsonaro.

Em menos de seis meses, Santos Cruz foi o terceiro ministro a cair na gestão Bolsonaro, após as quedas de Gustavo Bebianno (Secretaria Geral) e Ricardo Vélez Rodríguez (Educação).

Comentários




    gl