Celso Portiolli defende vinheta do SBT com bordão da ditadura

Domingo Legal, com Celso Portiolli. Foto: Lourival Ribeiro/SBT

Domingo Legal, com Celso Portiolli. Foto: Lourival Ribeiro/SBT

Segunda maior emissora do Brasil em audiência, o SBT começou a exibir em sua grande de programação na última terça-feira (6) uma série de vinhetas de tom nacionalista, em apoio ao presidente eleito Jair Bolsonaro.

Em uma das chamadas, depois de apresentar imagens de pontos turísticos do país, a voz oficial da emissora, o locutor Carlos Roberto, anuncia: “Brasil, ame-o ou deixe-o”. O resgate da frase, que se tornou popular durante a Ditadura Militar entre 1964 e 1985, gerou críticas nas redes sociais. A emissora limitou-se a dizer, através de sua assessoria, que não irá se pronunciar por questões estratégicas.

Nesta quinta-feira (8) o assunto voltou a ser polêmico através do comunicador Celso Portiolli. Em resposta à notícia de um portal sobre televisão, o apresentador do programa “Domingo Legal” sugeriu uma nova versão ao slogan “Brasil, ame-o ou deixe-o”, veiculado no início desta semana pela emissora de Silvio Santos: “Brasil: ou você ama ou a Venezuela é logo ali”.

O tuíte de Portiolli causou repercussão negativa imediata, recebeu críticas e rendeu até um bate boca dele com os internautas. Depois de defender o slogan, Celso compartilhou memes envolvendo o presidente eleito Jair Bolsonaro.

“Triste colocação de alguém que admirava”, escreveu um usuário da rede social. Em resposta, o artista disse que o rapaz não gostava dele de verdade. Outros tuítes, como uma resposta a outra pessoa que havia criticado o fato de Portiolli “fazer piada com a ditadura”, foram apagados.


Após repercussão negativa, SBT tira do ar vinheta com slogan “Brasil, ame-o ou deixe-o”

A chamada com o slogan “Brasil, ame-o ou deixe-o”, frase associada à repressão de pessoas com ideias contrárias ao regime militar, saiu do ar no mesmo dia em que entrou.

Sobre a exclusão, o SBT afirmou que a vinheta foi um “equívoco”: “A emissora não se atentou para o fato de que a frase remetia ao período do regime militar”, respondeu a assessoria de imprensa do canal.

Para substitui-la, o canal de Silvio Santos fez outra vinheta com menção direta ao presidente eleito Jair Bolsonaro. No vídeo o destaque fica por conta da frase: “Brasil acima de tudo”.

Comentários




mais notícias

    gl