Brasil descobre Richarlison: mensagem do craque oferecendo ajuda viraliza

Richarlison. Foto: Lucas Figueiredo - CBF

Richarlison. Foto: Lucas Figueiredo – CBF

Autor dos dois gols do Brasil no duelo contra a Sérvia, na estreia da Copa do Mundo do Catar, Richarlison encantou os fãs nas redes sociais. Carinhosamente apelidado de Pombo, o camisa 9 é conhecido por ser humilde e atencioso com o próximo, mas não estava entre os mais badalados do grande público.

Após a vitória de quinta-feira (24), um tuíte de uma das boas ações do jogador viralizou nas redes sociais. Laryssa Nogueira, de 29 anos, publicou prints de uma conversa dela com Richarlison de 2017. Na época, o atacante ofereceu ajuda ao pai da jovem, que sofre com doença de Parkinson.

“Meu pai, que tinha 52 anos na época, já não respondia mais às medicações, então decidimos recorrer a outra opção. Existe uma cirurgia chamada implante DBS (Deep Brain Stimulation), que é muito cara. Como o SUS (Sistema Único de Saúde) não estava realizando o procedimento, por conta do alto custo, tentamos entrar na justiça, mas o processo era muito demorado, então decidi criar uma campanha no Instagram”, revela a moça.

O perfil @ajudeedgar, foi criado em setembro de 2017 com o intuito de arrecadar a quantia de R$ 400 mil, necessária para custear os equipamentos, hospital e a cirurgia de José Edgar Ferreira de Souza, atualmente, com 57 anos.


Leia também:

+ A Fazenda 14: Kerline Cardoso é eliminada com 23,18% dos votos

+ A Fazenda: Fala de Deolane sobre agressão em reality choca a web


Laryssa conta que ganhou um celular de uma amiga e decidiu fazer uma rifa. A ideia era procurar artistas que pudessem ajudar com a divulgação.

“Juntei amigos e íamos todos, ao mesmo tempo, comentar nos perfis dos famosos no Instagram. Eu que sempre ia atrás dos atletas, mas no caso do Richarlison, foi ele que me procurou. Mandou mensagem se prontificando a ajudar. Ele ofereceu uma camisa autografada do Watford, equipe inglesa que defendia, para fazermos uma rifa e arrecadar o dinheiro da cirurgia”, explicou a estudante.

Comentários

 




    gl