Bolsonaro sobre política para juventude: ‘Não espere do governo’

Jair Bolsonaro. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Jair Bolsonaro. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Após ser questionado por um apoiador nesta terça-feira (14), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o jovem tem que estudar para ser como ele e não esperar que o governo faça alguma coisa.

O questionamento ocorreu na porta do Palácio da Alvorada, enquanto Bolsonaro cumprimentava apoiadores que diariamente se reúnem pare vê-lo. O homem se aproximou e peguntou o que o presidente achava da “política para juventude”.

Bolsonaro, então, respondeu: “Tem que estudar. Primeiro tem que estudar e não esperar que o governo faça por vocês, não. Vocês é que têm que fazer por vocês”.

O homem insistiu na pergunta e foi interrompido por pelo presidente. “Mas e as oportunidades para a gente hoje?”, questionou o apoiador. Demonstrando irritação, Bolsonaro repetiu a orientação de estudar e acrescentou que o trabalho do governo nessa área será somente “não atrapalhar”.

Aprovação automática

“Estudar, ralar, correr atrás que sai. Não espere do governo, não, de vereador, de deputado, de presidente da República. Não espere, não. Nosso trabalho é não atrapalhar vocês. Então não venham pedindo coisa para mim. Vocês é que têm que lutar por si. Eu saí lá do fim do mundo, do Vale do Ribeira, para chegar aqui. Tem que estudar”, insistiu o presidente.

Bolsonaro disse ainda que a conquista de um diploma também não garante uma vida próspera para o jovem e criticou o que chamou de “aprovação automática” nas escolas. “Acha que e só botar o diploma na parede que resolveu o problema dele? Não resolveu. Diploma você compra por aí”, destacou.

Presidente sobre livros didáticos: “Não tem como aprender nada”

Bolsonaro voltou a reclamar dos livros didáticos. Ele reclamou de ter sido mal interpretado quando disse que havia “muita coisa escrita”. Agora, ele disse que não tem como entender nada dos textos das publicações.

“Quando eu falei o amontoado de palavras, teve idiota falando um bocado de besteiras. Um livro que você não consegue entender nada. Tem coisa escrita, sem parágrafos, sem nada. Não tem como apreender nada”, ressaltou o presidente em conversa com um apoiador.

Antes, o presidente havia afirmado que os livros tinham “muita coisa escrita” e sugeriu: “Tem que suavizar aquilo”.

Aparelhamento

Jair Bolsonaro disse ainda que o Ministério da Educação era o “mais aparelhado” dos órgãos do Executivo federal e ressaltou que tudo estaria bem pior se seu adversário nas eleições, o petista Fernando Haddad, tivesse vencido.

Comentários




    gl