Bolsonaro diz que ‘por enquanto fica’ no PSL: ‘é briga de marido e mulher’

Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução de TV

Jair Bolsonaro. Foto: Reprodução de TV

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira (9) que, “por enquanto”, permanecerá no PSL. Ao conceder entrevista coletiva na qual foi questionado sobre a crise envolvendo o partido ao qual é filiado desde o ano passado, ele usou o termo “briga de marido e mulher”.

“Por enquanto, eu continuo [no PSL]. Não tem crise. Briga de marido e mulher, de vez em quando acontece. O problema não é meu. O pessoal quer um partido diferente, atuante. O partido está estagnado. Não tem confusão nenhuma”, disse Bolsonaro ao deixar o Palácio do Planalto.

O incômodo de Bolsonaro com o PSL vinha em uma crescente, mas ganhou força na última terça-feira (8). Durante encontro do presidente com a imprensa no Palácio do Planalto, Bolsonaro disse a um de seus apoiadores para “esquecer o partido” e que o presidente da legenda, Luciano Bivar, estava “queimado pra caramba”.

Como resposta, o presidente do PSL disse nesta quarta-feira (9) que Bolsonaro já estava “afastado” da sigla. “Não disse para esquecer o partido? Está esquecido”, afirmou.

Bivar fez declarações em entrevista para a jornalista Andréia Sadi, do G1, ao ser questionado se Bolsonaro deixará a legenda. “A fala dele foi terminal, ele já está afastado. Não disse para esquecer o partido? Está esquecido”, disse Bivar dizendo não saber o que se passa na cabeça de Bolsonaro, reforçando que busca “paz” e que a saída dele da sigla não “vai alterar nada”.

O PSL é alvo de investigações do Ministério Público e da Polícia Federal que apuram suspeitas de “candidaturas-laranjas”, de fachada, em Minas Gerais e em Pernambuco. Informações reveladas recentemente dão conta de que a investigação indicava um esquema de caixa 2 para a campanha presidencial de Jair Bolsonaro, o que só agravou a crise interna da legenda.

O presidente do PSL  negou que a distribuição do fundo partidário seja a causa da tensão com o grupo de Jair Bolsonaro e disse que solicitou uma reunião com o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, para dizer que o PSL estará “sempre com os ministros”.

Em 20 anos de carreira política, o presidente Jair Bolsonaro já passou por oito partidos políticos: PDC, PPR, PPB, PTB, PFL, PP, PSC e PSL.

Comentários




    gl