Bolsonaro admite recriar Ministério da Segurança e reduzir poder de Moro

Jair Bolsonaro. Foto: Foto: Alan Santos/Fotos Públicas

O presidente Jair Bolsonaro admitiu pela primeira vez nesta quinta-feira (23) a possibilidade de recriar a pasta da Segurança Pública, separadamente da Justiça, como era antes. A junção dos dois ministérios transformou Sergio Moro no que foi chamado de “superministro”. Caso resolva desmembrar a pasta, Moro permanecerá no comando da Justiça.

“Se for criado, daí ele [Sergio Moro] fica na Justiça. É o que era inicialmente. Tanto é que quando ele foi convidado, não existia essa modulação de fundir com o Ministério da Segurança”, explicou o presidente ao deixar o Palácio da Alvorada para embarcar rumo à Índia.

Bolsonaro afirmou ainda ainda que Sergio Moro é contrário ao desmembramento da pasta, mas que essa decisão conta com o apoio da bancada da segurança pública, também conhecida como “bancada da bala”, na Câmara e do próprio presidente da Casa, Rodrigo Maia.

“É comum receber demanda de toda a sociedade e ontem [quarta-feira] eles pediram para mim a possibilidade de recriar o Ministério da Segurança. É estudado. É estudado por Moro, mas lógico que o Moro deve ser contra”, comentou o presidente.

“O Rodrigo Maia é favorável à criação da Segurança. Acredito que a Comissão de Segurança Pública, que
trabalhou no passado, também seja favorável. Temos que ver como se comporta este setor da sociedade para melhor decidir”, completou Bolsonaro.

Comentários




    gl