Aluno da UFRB se recusa a receber documento de professora por ela ser negra; assista

Aluno da UFRB se recusa a receber documento de professora por ela ser negra. Foto: Reprodução de Internet

Em vídeo divulgado nas redes sociais, um estudante da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFR), identificado como Danilo Araujo de Góis, protagonizou um episódio explícito de racismo ao se recusar a receber documento das mãos de uma professora da instituição por ela ser negra.

As imagens foram compartilhadas pelo perfil do Twitter “Lista Preta” e mostra Danilo, em meio a uma sala repleta de alunos negros, se recusando a receber um material da professora.

Estudantes relatam que desde que entrou na Universidade, em 2018, o estudante de Ciências Sociais se recusa a pegar coisas das mãos de pessoas negras e que pessoas negras tenham manuseado ou até mesmo sentar próximo. Chegando a dizer que “não se mistura com negros pois foi bem criado”.

A coordenadora do curso de História da Universidade foi chamada e expulsou o aluno da sala, chamando os outros estudantes para se colocarem à disposição como testemunha. A Polícia Civil do estado informou que o caso foi registrado na Delegacia Territorial de Cachoeira e será apurado pela unidade.

Leia o comunicado da UFRB sobre o ocorrido:

“A Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) manifesta veemente repúdio às atitudes ofensivas do estudante do curso de Ciências Sociais, Danilo Araújo de Góis, para com a professora Isabel Cristina Ferreira dos Reis e outros estudantes do Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL), em Cachoeira. A instituição já criou uma comissão para apurar as denúncias encaminhadas por estudantes e professores do Centro, que informam ter presenciado reiteradas manifestações de preconceito racial, de gênero e de homofobia por parte do estudante.

A UFRB informa que está tomando as medidas administrativas e jurídicas cabíveis ao caso, de modo a contribuir com a apuração dos fatos ocorridos na noite do dia 9 de dezembro, em sala de aula, no Centro de Artes, Humanidades e Letras (CAHL), em Cachoeira. Após se recusar a receber uma avaliação das mãos da professora, o estudante foi denunciado pelos presentes por ato de preconceito racial, conforme vídeo veiculado em redes sociais.

Como instituição de ensino superior comprometida com os valores democráticos, o respeito à diversidade e implicada com os territórios de identidade em que está presente, a UFRB rechaça todo e qualquer ato de racismo, sexismo, LGBTfobia, intolerância e/ou violência, seja no âmbito acadêmico ou no cotidiano em geral.

A UFRB considera fundamental ao processo formativo na graduação e na pós-graduação o respeito às diferenças para constituir um ambiente de convívio saudável, sem discriminação. Ao mesmo tempo, a instituição manifesta solidariedade à professora e estudantes ofendidos no espaço da Universidade e reafirma seu compromisso em não deixar impunes atitudes desta natureza”.

Comentários




    gl