Adote um Avô: projeto encantador combate a solidão de idosos

Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação

Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação

A velhice deveria ser o período da vida em que as pessoas mais são acolhidas e rodeadas de amor, mas infelizmente não é o que acontece. Foi isso que percebeu o espanhol Alberto Cabanes, durante uma visita ao seu avô num lar de idosos, quando se comoveu ao conhecer Bernardo, um senhor que também reside no mesmo local. Sem filhos, Bernardo expressou a sua vontade em ter netos para que pudesse receber visitas no Natal.

A história motivou Alberto a criar o projeto “Adote um Avô”, que visa trazer companhia e alegria para milhares de idosos que vivem em asilos sem receber a visita de nenhum familiar. Mais de 1000 avôs e avós já foram “adotados” desde então, numa iniciativa que conta com mais de 200 voluntários.

 Alberto Cabanes/Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação
Alberto Cabanes/Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação

A ideia teve início em Madrid, mas o sucesso fez com que outras cidades da Espanha também abraçassem a causa. “Tive a sorte de ser criado pelos meus avós e de aprender com eles valores valiosos. Ninguém merece estar só. E nos lares há muita solidão”, disse Alberto ao site “El Mundo”. Para Alberto, estar perto dos idosos é uma oportunidade de aprender com toda a sua sabedoria e histórias.

Confira algumas imagens dos voluntários do projeto:

Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação
Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação
Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação
Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação
Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação
Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação
Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação
Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação
Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação
Projeto Adote um Avô. Foto: Divulgação

Quer adotar um avô também? Basta seguir o passo a passo abaixo:

1 – Procure descobrir, na Secretaria de Assistência Social ou Conselho Municipal do Idoso do seu município, o endereço dos abrigos daquela localidade. Escolha um deles, ligue para saber o horário de visitas e vá conhecer. Vá visitar. Simplesmente vá!

2 – Durante a visita, você conhecerá as necessidades materiais daquele abrigo. Se tiver condições financeiras de ajudar, faça-o segundo as suas possibilidades. Se não tiver, quem sabe falando com os seus amigos você não consiga alguma ajuda?

3 – No abrigo visitado talvez exista a necessidade de mão de obra que você possa prestar. Se você é manicure, se é barbeiro, se é cabeleireiro, se é advogado, médico, fisioterapeuta… Talvez estejam precisando exatamente do seu serviços e você possa dedicar um pouco do seu tempo para isso.

4 – Além dessas coisas que você pode fazer por todo o abrigo, você pode ainda escolher um único avô ou avó e “adotá-lo (la)”:

* Você pode doar a ele o seu tempo, visitando-o regularmente;

* Pode ajudá-lo financeiramente doando remédios, roupas, calçados, material de higiene e limpeza pessoal, fraldas etc;

* Se estiver distante ou tiver que ausentar-se, pode escrever cartas;

* Pode ajudá-lo (ou ajudar a todos) espiritualmente, valendo-se, de acordo com a sua fé, de preces, boas vibrações, remetendo-lhe(s) os seus melhores pensamentos..Na realidade, você criará a sua própria e pessoal forma de adoção.

Comentários




    gl