Em novo show, Roger Waters troca nome de Bolsonaro por “ponto de vista político censurado”

Nome de Bolsonaro é "censurado" em show de Roger Waters. Foto: Reprodução/Instagram

Nome de Bolsonaro é “censurado” em show de Roger Waters. Foto: Reprodução/Instagram

Roger Waters continua chamando atenção nas redes sociais por causa de sua posição política durante os shows realizados no Brasil. Na segunda apresentação da turnê “Us + Them” em São Paulo, realizada na última quarta-feira (10), o ex-líder do Pink Floyd incluiu uma nova mensagem no telão — na qual dizia que seu ponto de vista político havia sido “censurado”.

A frase foi adicionada sobre o nome do do candidato a Presidência do Brasil Jair Bolsonaro (PSL). No show anterior, realizado na terça-feira (09), Bolsonaro havia sido incluído em uma lista de pessoas que, de acordo com a mensagem da turnê de Waters, contribuem para o crescimento do neofascismo.

‘#Ele Não’ é removido

A mensagem “#Ele Não”, que foi exibida no final da música “Eclipse” no primeiro show de Waters em São Paulo, não voltou a ser exibida em sua segunda apresentação. Apesar disso, o público presente se manifestou e entoou o as duas palavras relacionadas as manifestações contrárias à Bolsonaro. Um outro grupo, a favor do candidato, também se manifestou.

Turnê pelo Brasil

Roger Waters ainda tem mais seis shows marcados no Brasil. O músico se apresentará em Brasília (13), no Estádio Mané Garrincha; em Salvador (17), na Arena Fonte Nova; em Belo Horizonte (21), no Estádio do Mineirão; no Rio de Janeiro (24), no Estádio do Maracanã; em Curitiba (27), no Estádio Couto Pereira; e em Porto Alegre (30), no Estádio Beira-Rio.

Primeiro show polêmico

Ao longo de sua primeira apresentação em São Paulo, o músico Roger Waters incluiu diversas mensagens no telão. Uma delas era a frase, em inglês, “Neo-fascismo está crescendo”. Abaixo, uma lista de países acompanhados dos, segundo o músico, responsáveis pelo crescimento do “neo-fascismo”. Entre as nações, estava o Brasil e uma menção a Jair Bolsonaro.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

#RESIST #ELENÃO ROGERWATERS

Uma publicação compartilhada por Beatriz Vaz (@biavazss) em

Mais perto do final do show de aproximadamente 3 horas de duração, no final da música “Eclipse”, o telão destacou uma palavra de ordem de uma das manifestações contrária a Bolsonaro. A hashtag “Ele Não” foi exibida no telão e arrancou cerca de quatro minutos de aplausos e vaias do público presente.

Além do cenário politico brasileiro, Roger Waters também mencionou o presidente norte-americano Donald Trump; colocou um balão com a frase em português “Respeite as Mulheres”; e também lembrou situação política do Oriente Médio.

Comentários




mais notícias

    gl