Remédio com chip rastreável é aprovado por órgão regulador americano

Abilify. Foto: Wikimedia

Abilify. Foto: Wikimedia

Um medicamento com um chip rastreável, conhecido como “pílula digital”, foi aprovado nesta terça-feira (14) pelo FDA, órgão dos Estados Unidos responsável por aprovar remédios (como a Anvisa, no Brasil).

O Abilify MyCite possui um sensor digestível incorporado na pastilha que registra que a medicação foi tomada. O produto é aprovado para o tratamento da esquizofrenia, tratamento agudo de episódios maníacos e mistos associados ao transtorno bipolar I e para uso como um tratamento complementar para depressão em adultos.

O sistema funciona enviando uma mensagem do sensor da pílula para adesivo que deve ser colado no lado esquerdo do peito do paciente. O adesivo transmite a informação para um aplicativo móvel para que os pacientes possam acompanhar a ingestão da medicação em seu telefone. Os pacientes também podem permitir que seus cuidadores e médicos acessem a informação através de um site.

A tecnologia não foi recebida por alguns médicos. Em entrevista ao jornal The New York Times, Paul Appelbaum, diretor do departamento de ética em psiquiatria da Universidade de Columbia, criticou a medicação. “Um sistema que vai monitorar o comportamento do paciente e enviar sinais do corpo dele e notificar o médico? Seja em psiquiatria ou em medicina geral, drogas para quase qualquer outra doença seriam um lugar melhor para começar do que em uma droga para esquizofrenia”, disse.

“Ser capaz de rastrear a ingestão de medicamentos prescritos para doenças mentais pode ser útil para alguns pacientes”, afirmou Mitchell Mathis, diretor da Divisão de Produtos de Psiquiatria no Centro de Avaliação e Pesquisa de Drogas da FDA. “A FDA apoia o desenvolvimento e o uso de novas tecnologias em medicamentos prescritos e está empenhada em trabalhar com empresas para entender como a tecnologia pode beneficiar pacientes e médicos”.

Abilify MyCite não deve ser usado para rastrear a ingestão de drogas em “tempo real” ou durante uma emergência, porque a detecção pode ser adiada ou pode não ocorrer.

A esquizofrenia é uma doença crônica, grave e incapacitante do cérebro. Normalmente, os sintomas são vistos pela primeira vez em adultos com menos de 30 anos de idade. Os sintomas daqueles com esquizofrenia incluem ouvir vozes, acreditando que outras pessoas estão lendo suas mentes ou controlando seus pensamentos e sendo suspeitas ou retiradas. A desordem bipolar, também conhecida como doença maníaco-depressiva, é outra desordem cerebral que causa mudanças nocivas no humor, energia, níveis de atividade e a capacidade de realizar tarefas diárias. Os sintomas do transtorno bipolar incluem períodos alternados de depressão e humor elevado, maior atividade e agitação, fala rápida, comportamento impulsivo e uma diminuição da necessidade de dormir.

A pílula tem um aviso alertando os profissionais de saúde que pacientes idosos com psicose relacionada à demência tratados com drogas antipsicóticas estão em risco aumentado de morte. Abilify MyCite não é aprovado para tratar pacientes com psicose relacionada à demência. Outro alerta é sobre um risco aumentado de pensamento e comportamento suicida em crianças, adolescentes e jovens adultos que tomam antidepressivos. A segurança e eficácia de Abilify MyCite não foram estabelecidas em pacientes pediátricos.

Comentários

srzd



mais notícias