Pesquisa aponta que brasileiras preferem dormir a fazer sexo

Casal namorando. Foto: Reprodução de Internet

Casal namorando. Foto: Reprodução de Internet

O perfil de homens e mulheres na cama foi traçado pelo maior levantamento sobre comportamento sexual no país. Os resultados não poderiam ser mais díspares entre os dois gêneros: enquanto eles gostariam de fazer sexo mais de oito vezes por semana e terem o maior medo de não satisfazerem suas parceiras, elas pensam em sexo três vezes por semana e priorizam a qualidade do sono, acima da satisfação sexual.

Conduzido pela psiquiatra Carmita Abdo, coordenadora do Projeto Sexualidade (ProSex) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, o estudo, que ouviu 3 mil participantes entre 18 e 70 anos, pretende traçar um perfil do comportamento sexual do brasileiro.

“Embora muita coisa tenha mudado e tenhamos a impressão de que hoje é mais natural falar sobre sexo, a sociedade ainda aborda essa temática com certa vulgaridade”, comenta a especialista.

“Muitas mulheres temem julgamentos relacionados a certos comportamentos sexuais, o que acaba fazendo com que limitem o próprio prazer. Não é tão fácil, nem tão rápido, se libertar de padrões anteriormente impostos”, explica.

Dentre os homens, 54,8% afirmam que seu maior temor é não satisfazer a parceira; seguido por pegar uma Doença Sexualmente Transmissível (48%); perder a ereção (46,9%) e ejacular muito rápido (42%). A gravidez aparece apenas em sétimo lugar.

Já entre as mulheres, os maiores receios são, nesta ordem: pegar uma DST (45,9%); não satisfazer o parceiro (40,7%) e medo de engravidar (35,2%).

Já em relação à vida sexual, este quesito teve 48,2% dos votos das mulheres, atrás de convivência familiar (76,1%), alimentação saudável (73,8%) e qualidade do sono (65,4%). Já para os homens, a satisfação sexual ocupa o terceiro lugar, com 69,4% das citações, atrás de tempo de convivência com a família (78,8%) e alimentação saudável (70,1%).

Na faixa etária dos 18 aos 25 anos, mais próxima do início dos relacionamentos sexuais, a vida sexual satisfatória aparece em quinto lugar, atrás de aspectos como convivência social e exercícios físicos.

Comentários

srzd



mais notícias