Gap se desculpa por não incluir Taiwan em estampa de mapa da China

Captura de tela da camiseta em loja online da Gap. Foto: Reprodução/Twitter

Captura de tela da camiseta em loja online da Gap. Foto: Reprodução/Twitter

A rede americana de roupas GAP emitiu um pedido de desculpas por vender camisetas com um mapa “incompleto” da China. No produto, a imagem não inclui o Estado insular de Taiwan. Apesar de possuir um governo próprio, o Estado não é reconhecido como independente pelo governo chinês. Taiwan é considerada pela China como uma província rebelde. O pedido de desculpas foi feito em uma conta oficial da empresa na rede social chinesa weibo.

A camiseta vendida pela Gap possui uma estampa do mapa da China em vermelho. Além de não incluir Taiwan, a imagem omite territórios como o sul do Tibete e ilhas do sul da China. Contudo, diferente dos outros territórios, a ausência de Taiwan pode ser interpretada como um ato político pelos chineses. A Gap, que abriu sua primeira loja na China em 2010, prontificou-se de retirar as camisetas das lojas chinesas e destruí-las. Nada foi dito sobre a venda do produto em outro países.

O Diário do Povo, jornal oficial do Partido Comunista Chinês e maior grupo jornalístico do país, publicou no dia 14 de maio, em sua conta no Twitter, sobre o pedido de desculpas da GAP. “A rede americana de roupas GAP, na segunda-feira, desculpou-se por estampar um mapa incompleto da China em camisetas vendidas fora da China. A marca afirmou respeitar a soberania chinesa e a integridade regional”.

No entanto, na madrugada desta quarta-feira (16), o jornal voltou a mencionar o assunto para dizer que internautas chineses não aceitaram o pedido de desculpas da empresa. De acordo com o Diário do Povo, chineses acusam a empresa americana de contribuir com a separação de Taiwan. “Internautas chineses não aceitaram a desculpa da Gap por venderem camisetas com um mapa incorreto da China; e acusam a empresa americana de tentar deliberadamente separar a China”.

Comentários




mais notícias

    gl