Ticiana Farinchon. Foto: SRzd

Ticiana Farinchon

Formada em Jornalismo pela Facha, com pós-graduação em Mídias Digitais. Apaixonada por tecnologia e cultura, tem nos seriados de TV seu maior vício, acompanhando em tempo real tudo o que acontece neste fascinante universo.

Um presente de Natal para os fãs de Sense8

Os fãs de Sense8, que aguardam ansiosamente a chegada da 2a temporada da série (com data de estreia em 5 de maio de 2017), tiveram um ótimo motivo para comemorar o Natal. A Netflix, produtora da atração, disponibilizou nesta sexta, 23, um episódio, com duas horas de atração, que serviu como um prequel do que teremos à nossa disposição ano que vem.
Não pode-se dizer que avançamos muito na mitologia da série, mas pra quem curte Lito e seus companheiros, foi bom demais voltar a se conectar. Sim, Sense8 é essencialmente sobre conexões.
Pra quem nunca ouviu falar dela, uma pequena sinopse: criada pelas irmãs Wachowsky (Matrix) e por J. Michael Straczynski (Babylon 5), a série conta a história de oito pessoas – de localidades, nacionalidades e culturas totalmente distintas – que, após uma visão perturbadora (com Angélica, personagem de Daryl Hannah), descobrem estar mental e psicologicamente ligados uns aos outros. A primeira temporada é bastante intensa, e tem uma das melhores cenas que já vi na TV em todos os tempos: a cena do concerto. Vale a pena conferir.
Voltemos ao episódio comemorativo. Uma das razões dele existir – que ficou clara logo no início – foi introduzir na série Toby Onwumere, que substituiu Aml Ameen como o intérprete de Capheus. E a forma como isso foi feita não poderia ter sido mais Sense8: com humor. Humor que também se viu no conflito de Kara (Tina Desai), dividida entre o real (Rajan – Purab Kohli) e o imaginário (Wolfgang – Max Riemelt).
Embora extenso, em momento algum podemos dizer que foi criado apenas para encher linguiça. Ele cumpre – e muito bem – o seu propósito: conectar os espectadores novamente com os personagens, já que a primeira temporada da série foi disponibilizada num já longínquo 2015.
As interações entre os personagens nos mostram que teremos um 2017 muito, muito intenso. Agora que estão cada vez mais à vontade com este tipo de acontecimento, todos os exploram sem medo, o que traz pra nós do lado de cá da telinha um mix de emoções bem interessantes. Eles não se conectam mais só em momentos difíceis em que um precisa da habilidade do outro. Todos estão juntos também em momentos de catarses coletivas, e isso faz de Sense8 a série mais visceral no ar atualmente.
Claro que a galerinha do mal (será?) também deu as caras no episódio. E isso nos trouxe expectativas enormes sobre o que vem ai no próximo ano.
Como não podia deixar de ser, a atração nos brindou novamente com um memorável número musical cheio de metáforas e contexto. Hallelujah (a “Então é Natal” dos americanos), ganhou mais uma roupagem. E serviu como pano de fundo para que os sensates se reunissem de novo numa mistura de sentimentos, com uma singela participação de um coral e a perturbadora imagem que se seguiu.
Em tempos nos quais as conexões são cada vez mais superficiais, “A Christmas Special” conseguiu mostrar não só a ligação que possuem os sensates, mas também fazer com que nós, espectadores, mergulhássemos neste que, provavelmente, será um dos grandes destaques de 2017.

Comentários

srzd



mais notícias