Petróleo, combustíveis e Refis ajudam a fechar as contas

Ilustração. Foto: Reprodução

Ilustração. Foto: Reprodução

O que aparentava ter degringolado teve a mão salvadora de receitas extraordinárias que serão fundamentais para não termos surpresas desagradáveis nas contas públicas nacionais.

O déficit nas contas públicas apontam para um resultado menos pior do que o consentido pelo Congresso.

A União tem contado com um reforço de peso para fazer caixa em meio a incertezas na economia, petróleo, combustíveis e o Refis estão reforçando as receitas da União, acima do planejado.

As receitas extraordinárias responderam por quase metade do crescimento real acima da inflação das receitas.

Senão fosse a fiscalização mais eficiente, o Refis e o aumento no preço do petróleo e da gasolina que advirão pelos dividendos impulsionando pelo excelente lucro da Petrobrás a ser pago pelos dividendos ao sócio majoritário o governo. Certamente o rombo de R$ 159 bi seria bem maior um indicador de que as torneiras não estão vedadas e os gastos não estão contidos.

Cada vez mais a opção para reduzir bruscamente as despesas públicas federais é uma alternativa que Não teremos escapatória. Ou assume ou agonizaremos a sustentabilidade das finanças públicas federais é impedidos o crescimento econômico.

Comentários




mais notícias

    gl