Ana Carolina Garcia. Foto: SRZD

Ana Carolina Garcia

Jornalista formada pela Universidade Estácio de Sá, onde também concluiu sua pós-graduação em Jornalismo Cultural. Em 2011, lançou seu primeiro livro, "A Fantástica Fábrica de Filmes - Como Hollywood se Tornou a Capital Mundial do Cinema", da Editora Senac Rio.

‘Deadpool 2’: a zoeira não tem limites

Protagonizado, produzido e roteirizado por Ryan Reynolds, “Deadpool 2” entrou em cartaz na última quinta-feira, dia 17 (Foto: Divulgação).

Principal estreia desta quinta-feira, dia 17, “Deadpool 2” (Idem – 2018) cumpre a promessa e entrega aos fãs do Mercenário Tagarela uma trama que tem como lema a zoeira ilimitada, não poupando nada nem ninguém.

 

Conduzido com competência por David Leitch, de “Atômica” (Atomic Blonde – 2017), o longa mostra Wade Wilson / Deadpool (Ryan Reynolds) e Vanessa (Morena Baccarin) se preparando para constituir família e lidando com o medo de Wade de não ser um bom pai. Mas em pouco tempo o sonho do casal é interrompido e Deadpool se vê obrigado a enfrentar um inimigo cujas motivações são desconhecidas.

 

Deadpool e Weasel (T.J. Miller) selecionam candidatos para a criação da X-Force (Foto: Divulgação).

Com o politicamente incorreto ligado na potência máxima e mantendo o ritmo frenético que fizeram de seu antecessor, “Deadpool” (Idem – 2016), sucesso absoluto de público e crítica, “Deadpool 2” concede à plateia momentos divertidíssimos na sala de exibição. E tamanha diversão surge em forma de piadas que referenciam a cultura pop a todo instante, de “Yentl” (Idem – 1983) a “Lanterna Verde” (Green Lantern – 2011), passando por “Logan” (Idem – 2017) e “Instinto Selvagem” (Basic Instinct – 1992), por exemplo. Há espaço também para chacota com produções da Marvel e da DC, inclusive referenciando visualmente uma sequência estrelada por Michelle Pfeiffer em “Batman O Retorno” (Batman Returns – 1992).

 

Apesar da diversão, “Deadpool 2” tem como ponto fraco o roteiro simplório e repleto de clichês que coloca todos os holofotes sobre o seu protagonista, esquecendo de desenvolver minimamente seus coadjuvantes, sobretudo Cable, interpretado por Josh Brolin, enteado de Barbra Streisand, a estrela de “Yentl”. Mesmo assim, a trama funciona na tela e ainda encontra espaço para abordar a importância da família enquanto base para o indivíduo, tema recorrente nas produções hollywoodianas atuais, por meio não apenas de Wade, mas também de Cable e do mutante Russell (Julian Dennison), vítima de preconceito por estar acima do peso.

 

Depois de Thanos em “Vingadores: Guerra Infinita”, Josh Brolin vive Cable (Foto: Divulgação).

 

Interpretando seu segundo vilão em filmes inspirados nos quadrinhos da Marvel, Josh Brolin deixa de lado o peso de Thanos em “Vingadores: Guerra Infinita” (Avengers: Infinity War – 2018) para passear com desenvoltura pelo universo do Mercenário Tagarela em total comunhão com os outros atores. Contudo, o grande destaque continua sendo Reynolds, que parece ter nascido para viver Wade Wilson na telona. Ainda mais insano e impiedoso no que tange à língua afiada do personagem, o ator consegue dosar satisfatoriamente drama e humor, formando uma boa dupla com a brasileira Morena Baccarin.

 

Com uma trilha sonora vigorosa que funciona a favor da trama, exercendo papel fundamental para impulsionar o humor em meio ao caos, “Deadpool 2” usa como pano de fundo uma história sobre família e preservação da essência do indivíduo após o trauma causado pelas ações de terceiros para levar às salas de exibição um filme de ação genuíno, alicerçado em sequências coreografadas e conduzidas com esmero, mas de grande violência gráfica.

 

Beneficiado pelo aumento orçamentário proporcionado pela Fox após o lucro gerado pelo longa original, algo que se reflete principalmente nos efeitos visuais e sonoros e nas escalações de outros X-Men, “Deadpool 2” é um filme divertido e abusado que ignora convenções para atingir seu objetivo. Desta forma, mantém incólumes as características do protagonista que deseja realizar suas missões pensando somente nos resultados, não nos meios para chegar até eles.

 

Ah, duas dicas importantes: preste atenção na rápida aparição de Vanisher (não posso revelar o nome do ator para evitar spoiler) e não saia da sala de exibição antes dos créditos.

 

Assista ao trailer oficial legendado:

Comentários




mais notícias

    gl