‘Vai sair’; Fábrica do Samba ganha nova previsão de conclusão das obras

Fábrica do Samba. Foto: Reprodução

“Vai sair”.

Essa é a palavra do prefeito de São Paulo, João Doria, do PSDB, sobre a conclusão das obras da Fábrica do Samba, projeto idealizado para abrigar os barracões das escolas de samba do Grupo Especial da cidade.

Desde o ano passado, a construção é ocupada por sete agremiações da divisão de elite do samba paulistano. Lá, já foram realizados importantes eventos, como a festa de lançamento do CD 2017.

+ Relembre o evento realizado na Fábrica do Samba

Neste ano, parte das captações para a produção da faixa do disco duplo dos desfiles do próximo ano aconteceram em uma tenda montada no local. A sequência da execução das obras e o gerenciamento deste equipamento público, que não faz parte da ações de desestatização da gestão tucana, foram tema de entrevista exclusiva de Doria ao programa “No Mundo do Samba”, veiculado pela Rádio Trianon AM 740 e retransmitido pelo portal SRzd no último dia (5), assista:

Saiba um pouco mais sobre o projeto da ‘Fábrica do Samba’

O Departamento de Edificações da SIURB estabeleceu o ano de 2015 como prazo final para a conclusão total da obra, uma das demandas mais antigas das agremiações que integram a Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo.

Os primeiros passos envolvendo o projeto foram dados em 2005, através da Assessoria de Projetos Estratégicos da São Paulo Turismo. Desde então, mudança de endereço, paralisações, burocracia com aprovações e liberações de documentos por diferentes órgãos, somados a alguns atrasos na construção, envolvem o tão sonhado espaço reservado para as criações dos artistas da folia.

O complexo em si teve suas obras iniciadas em 2012 e é considerado, assim que for concluído, um divisor de águas para o Carnaval paulistano, uma vez que todos os processos de concepção e execução do espetáculo deverão ser modificados.

Confira detalhes previstos para as instalações da ‘Fábrica do Samba’

Projetado para ter mais de 77 mil m² de área construída, o espaço, que fica na Avenida Doutor Abraão Ribeiro, esquina com a marginal Tietê, distante apenas 1.100 metros do Sambódromo, deve abrigar, além dos barracões das agremiações, o “Barracão Escola”, sede administrativa e estacionamento com 140 vagas. O projeto tinha orçamento original previsto de R$ 126 milhões.

Fábrica do Samba. Foto: Reprodução
Fábrica do Samba. Foto: Reprodução

Após sua conclusão, em cada um dos barracões, todos idênticos e com 4.200 m², trabalharão, em horário comercial, em média, 120 homens e mulheres, manuseando produtos químicos, tinta, isopor, tecido, plástico, vidro, ferro e madeira.

O projeto, cujo orçamento, investido em sua totalidade pela Prefeitura de São Paulo, busca garantir para as escolas de samba melhores condições de trabalho, contexto que irá refletir diretamente na qualidade dos desfiles carnavalescos. Nas áreas comuns, além da administração e salas de aula, foram previstas também subestações de energia e uma central de reciclagem e reaproveitamento de materiais.

Os barracões serão ocupados pelas escolas do Grupo Especial e, a cada ano, dependendo do resultado e do regulamento, aquelas que forem rebaixadas deverão liberar o espaço para a entrada das que conquistarem vaga vindas do Grupo de Acesso.

Raio-X da ‘Fábrica do Samba’

Quantos barracões serão construídos?
14, mais o barracão escola e de administração

Qual o tamanho da área de cada barracão?
4.200 m² de área construída

Qual o valor do investimento?
R$ 126 milhões

Qual a metragem do terreno?
77 mil m²

De quem é o terreno?
Da Prefeitura Municipal de São Paulo

Quem ocupará os barracões?
As escolas de samba do Grupo Especial paulistano

E como fica quando a escola é rebaixada do Especial para o Acesso?
Ela sai e dá lugar para aquela que conquistou a vaga na disputa do Grupo de Acesso

SRzd acompanha o desenvolvimento do projeto desde o ano de 2012

Desde o início do projeto, o SRzd Carnaval SP acompanha de perto todo o processo envolvendo a “Fábrica do Samba”. Em 2012, Luiz Sales, na época diretor de ações estratégicas e comunicação da SPTuris, recebeu a reportagem do portal no canteiro de obras:

No mesmo ano, a equipe do SRzd conversou com alguns presidentes das escolas de samba filiadas à Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, que visitaram e vistoriaram o local:

Finalmente, ainda no ano de 2012, o SRzd sobrevoou o terreno captando imagens exclusivas das instalações da “Fábrica do Samba”:

 

Comentários

srzd



mais notícias