Enredo sobre Arlindo Cruz foge da biografia e tem cunho social e político

Arlindo Cruz. Foto: Marcos Hermes

Arlindo Cruz. Foto: Marcos Hermes

Na tarde do sábado (7) a X-9 Paulistana fez festa em sua sede na Zona Norte da cidade de São Paulo para lançar o enredo 2019, sobre o cantor e compositor carioca Arlindo Cruz.

+ Veja a cobertura completa do evento

A sinopse do tema; “Meu lugar é cercado de luta e suor, esperança num mundo melhor! O show tem que continuar”, só será conhecida na próxima semana, mas o carnavalesco Amarildo de Mello divulgou ao SRzd um resumo daquilo que pretende com o desfile sobre a vida e obra do artista.

Ao que parece, e ele mesmo afirma, a história terá como estrutura narrativa outros caminhos que não apenas o biográfico, mais usual neste tipo de proposta. A ideia é explorar conceitos sociais, culturais e do cotidiano, presentes nas letras concebidas por Arlindo. Leia o texto escrito por Amarildo, uma espécie de pré-sinopse, que dá o tom do que virá pela frente:

“Não poderia antes de começar escrever a respeito de nosso tema de 2019, relatar a emoção que me invade o corpo e faz de minha alma um balsamo de felicidade. No entanto ainda que esse enredo seja um grande presente em minha vida afetiva e profissional, sei da responsabilidade em traduzir a vida e a obra do poeta e músico Arlindo Cruz em tema enredo para nosso próximo desfile.

Dentro da simplicidade, e singularidade de sua obra existem signos e significados a serem decifrados e interpretados. Além da qualidade literária e musical, as narrativas de suas letras – verdadeiras crônicas – guardam em si um traço de cunho social e político maior que o senso comum as enxergam, fazendo-me entender e ter uma leitura a ponto de classificá-lo como um dos artistas no gênero mais importantes de nosso país. Ao ler e escutar suas composições penso: “O poeta do povo” é um artista que parece ter vivido nos tempos do classicismo grego, tamanho o equilíbrio e o senso estético de suas composições, seja pela construção poética ou pela musicalidade.

Arlindo sem ser piegas fala da família, das relações do amor e do desamor… Como se fosse um palestrante de auto-estima… Fala de esperança sem ser apelativo e dramático… Sem fanatismo, versando e cantando em louvor aos orixás fala de fé como um elixir que embala o corpo e cura a alma. Nunca lhe vi se posicionar politicamente de forma pública, porém sem ser panfletária sua obra possui um claro traço político de resistência a opressão. Valoriza o homem da luta e do suor, dos becos e das vielas, assinala e registra as injustiças e o abandono a essa gente. Fala das favelas, das comunidades e suas realidades da forma mais poética e linda que já vi.

De forma sublime ele enaltece, apontando, elencando e valorizando heranças de nossas raízes, afro descendente e manifestações que nascem no seio popular. Ao falar do povo nas suas construções poéticas ele extrapola a sua denominação de compositor e musico. Torna-se um verdadeiro “sociólogo pensador” Muitas de suas narrativas são verdadeiras crônicas do cotidiano que “geografizam”, de uma forma eloquente e nos transporta a viver e sentir o que ele expressa em suas poesias.

Assim é: “Arlindo Cruz”… Esse grande pensador: “O poeta do povo”. E os caminhos de nosso enredo será desenvolvido diante desse olhar. E na mais pura poesia a X-9 Paulistana irá percorrer sua linda história e apresentar vida e obra desse “Abiasé predestinado” no carnaval de 2019. O Show tem que continuar – Olha o povo pedindo bis”.

Comentários




mais notícias

    gl