Vice da chapa de Regina Celi no Salgueiro se pronuncia e defende novas eleições

Regina Celi está afastada do Salgueiro e Jomar Casemiro assume a presidência interina. Foto: Reprodução

Regina Celi está afastada do Salgueiro e Jomar Casemiro assume a presidência interina. Foto: Reprodução

Jomar Casemiro, vice-presidente na Chapa 01 de Regina Celi na disputa eleitoral do Salgueiro, se pronunciou, nesta quarta-feira (6), via rede social, a respeito do imbróglio jurídico em que se encontra o resultado da eleição. No texto, Casemiro relata conversas com Regina e advogado e defende novas eleições.

“Venho informá-los da minha preocupação com o futuro do G.R.E.S. Acadêmicos do Salgueiro. Uma vez que a Chapa 1 foi julgada pelos desembargadores da 25ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro e considerada “inapta” conforme acórdão publicado dia 30 de maio de 2018( 15 dias após o julgamento no Tribunal), e ontem a Chapa 2 entrou com nova petição pedindo posse imediata , no processo já existente em primeira instância, me posiciono a favor da convocação de um novo pleito, com inscrições de chapa já baseadas nesta decisão em segunda instância. Pois acredito ser este o modo mais rápido de se resolver este imbróglio.

Somente após 20 dias do julgamento , no dia 4 de junho, fui chamado pela presidente Regina Celi para uma reunião no escritório do Dr. Ubiratan. Estiveram presentes membros da extinta Comissão Eleitoral (representada por Marcelo Montero e Patricia) e do Conselho Deliberativo (representado pelo presidente Renato Raposo e pelo secretário Osvaldo Salgueiro).

Na reunião foi confirmado que a tática defendida seria a impetração de recursos pela permanência do resultado da eleição ocorrida no dia 6 de maio de 2018 até que se esgotem todas as instâncias. Na ocasião, me mostrei preocupado com a tática de infindáveis recursos, ainda que o Dr. Ubiratan me garantisse que a chapa de oposição que foi a menos votada não poderia tomar posse. Ainda assim, saí da reunião um tanto temeroso com esta possibilidade.

Foi questionada ainda a hipótese de outro sócio tentar entrar no processo e pedir a marcação de nova eleição. Entretanto, a ideia foi absolutamente rechaçada por Dr. Ubiratan. Logo, ao sair, fiz novas consultas a advogados – tanto da minha família, quanto de pessoas ligadas à Harmonia da escola – e todos foram unânimes em dizer que esta tentativa era absolutamente possível e válida.

Após nova conversa hoje com a presidente, informo que, por continuar achando que o Salgueiro não pode tornar-se refém de recursos que se arrastarão por tempo indeterminado e perigoso, ingresso hoje com movimentos jurídicos visando a convocação – para o mais breve possível – de novas eleições, para que a agremiação possa, com segurança, planejar seu futuro e o Carnaval 2019.

Deixo claro que minha decisão não se trata de nenhuma divergência pessoal da administração que ajudei a existir e fui vice no último mandato ( Me orgulho do trabalho que a presidente Regina realizou). Trata-se de divergências da tática jurídica e de atitudes administrativas tomadas pós processo eleitoral de 6 de maio.

Sempre buscarei o que julgar melhor para a instituição Salgueiro. Devo isso a meus antepassados, que busco honrar.

Abraços.”

Relembre o caso da eleição no Salgueiro:

Regina Celi é reeleita presidente do Salgueiro

Justiça torna presidente Regina Celi do Salgueiro inelegível, diz jornal

Justiça decide por nova eleição no Salgueiro

Em caso de vitória, chapa de oposição promete rigorosa auditoria nas contas do Salgueiro

Emerson Dias sobre situação do Salgueiro: ‘Imbróglio jurídico não terá impacto grande’

Comentários




mais notícias

    gl