Rute Alves fala sobre carreira, desavenças, parcerias e julgamento

Rute Alves, porta-bandeira. Foto: SRzd

Rute Alves, atualmente defensora do pavilhão da Unidos da Tijuca, é uma das profissionais mais respeitadas e gabaritadas do quesito mestre-sala e porta-bandeira. A experiente profissional do Carnaval concedeu uma entrevista exclusiva ao SRzd, falou sobre a carreira, inspirações, desafetos, parcerias e diversos outros assuntos.

Rute coleciona em seu currículo, passagens por diversas agremiações importantes no Carnaval do Rio de Janeiro. Entre elas estão Porto da Pedra, São Clemente, Portela e Unidos da Tijuca. A porta-bandeira ficou por 10 anos na Unidos de Vila Isabel e acredita que lá tenha ocorrido o grande divisor de águas em sua carreira.  Assista ao vídeo:

Na Vila, Rute fez parceria com Raphael Rodrigues por 3 carnavais (2005, 2006, 2007). No último, porém, romperam a parceria devido a um desentendimento que durou 10 anos. Foram 10 anos sem se falar. Ela conta que o tinha como um filho e explicou o motivo do conflito. Recentemente ambos utilizaram suas páginas no Facebook para comunicar o acordo de paz e afeto que selaram: “Parece que eu tirei um peso de mim”, disse ela. Entenda o que de fato aconteceu na época e o motivo que fez Rute e Raphael se reconciliarem:

De presença incomparável e uma força inigualável em sua dança, a porta-bandeira confessa não lembrar exatamente o momento exato em que adotou o seu estilo, mas explicou que por ser muito fã de Maria Helena, porta-bandeira lendária da Imperatriz Leopoldinense, adquiriu algumas características de sua principal referência. Veja:

Para os jovens, o momento de se apresentar diante dos jurados pode parecer como o de maior nervosismo durante todo o processo do Carnaval. Para Rute, a concentração e o foco que se tem, faz com que o momento passe a ser um pouco mais tranquilo. Ela revelou que o seu estado de nervos a flor da pele é na quarta-feira de cinzas, contou que nunca assistiu a apuração na Sapucaí e falou sobre a mudança as cabines duplas, adotadas  para o Carnaval 2017:

Nos dias atuais as parcerias de mestre-sala e porta-bandeira não tem sido duradoura como no passado. Em 2017, Rute e Julinho fazem 10 anos de parceria: “Eu sou privilegiada em dançar com ele”, destacou. A porta-bandeira fez uma reflexão e deu um conselho para os mais novos. Confira:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Comentários




    gl