Ninguém cai: plenária da Liesa mantém Império e Grande Rio e 14 escolas desfilarão no Especial em 2019

Carro quebrado da Grande Rio foi um dos motivos que deixou a agremiação em 12º lugar na apuração. Foto: SRzd

A plenária realizada nesta quarta-feira (28) na sede da Liga Independente das Escolas de Samba, Liesa, definiu o futuro do Carnaval 2019 e, especificamente, de duas escolas de samba: Acadêmicos do Grande Rio e Império Serrano. A grande maioria das agremiações, representadas por seus dirigentes, votou a favor da manutenção das duas agremiações rebaixadas na apuração da quarta-feira de Cinzas. Somente a Mangueira e a Portela se posicionaram contra a decisão de anular o rebaixamento.

Dessa forma, o Grupo Especial do ano que vem será composto por 14 escolas de samba, incluindo a Unidos do Viradouro, que subiu da Série A. Já o grupo de acesso abrigará 12 agremiações.

A famigerada ‘virada de mesa’ foi iniciada dias depois do resultado da apuração do Carnaval 2018. O assunto foi levantado pelo presidente da Unidos da Tijuca, Fernando Horta, que defendeu a permanência da agremiação de Caxias devido ao acidente com a última alegoria. Vale lembrar que a escola do Borel iniciou o levante, em 2017, contra o não rebaixamento que manteve a Paraíso do Tuiuti no Grupo Especial.

De acordo com a Acadêmicos do Grande Rio, a escola foi penalizada no quesito Alegorias e Adereços devido ao último carro que quebrou na concentração e não desfilou. Segundo o manual do jurado da Liesa, o júri deve levar em consideração somente os carros que passaram pela Avenida. No entanto, a tese de que os julgadores penalizaram a escola pelo acontecimento ainda não é confirmada, pois a Liga, até o presente momento, não divulgou as justificativas.

Outro assunto comentando que favoreceu à decisão foi o baixo público presente no Sambódromo durante os desfiles do Grupo Especial deste ano. O retorno de 14 escolas, desejo de muitos sambistas, pode fazer com que as arquibancadas voltem a encher como antigamente.

Prefeitura envia documento à Liesa em apoio a anulação do rebaixamento

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, teve participação na decisão que manteve Grande Rio e Império Serrano no Grupo Especial para 2019. Em documento assinado por ele e Marcelo Alves, presidente da Riotur, a prefeitura da cidade informou que tomou ciência do assunto e afirmou não se opor a ampla maioria das agremiações que defendiam o não rebaixamento.

Documento da prefeitura enviado à Liesa. Foto: Reprodução

Leia também:

Jorge Castanheira sobre 14 escolas no Grupo Especial: ‘Tomamos esta decisão pensando no futuro do espetáculo’

Comentários




mais notícias

    gl