Justiça torna presidente Regina Celi do Salgueiro inelegível, diz jornal

Regina Celi é a atual presidente do Salgueiro. Foto: Henrique Matos

Em decisão tomada nesta quarta-feira (16), o Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) considerou inelegível a presidente do Acadêmicos do Salgueiro, Regina Celi, que obteve 247 votos, contra 124 de André Vaz e Joaquim Cruz, da chapa derrotada em eleição realizada no dia 6 de maio. De 580 votantes, 387 compareceram ao pleito. Foram anulados 19 votos.

A ação, que ainda cabe recurso, foi movida pela chapa de oposição, liderada por Vaz, que questiona a possibilidade do quarto mandato de Regina Celi (o estatuto da agremiação só permite uma reeleição) e também a composição da chapa da mandatária. A chapa de oposição chegou a obter uma liminar cancelando a votação, mas a decisão foi revertida pelos advogados de Regina Celi.

Segundo o jornal “O Globo”, a presidente que ocupa o cargo desde 2009 deverá deixar o cargo após a decisão ser publicada no Diário Oficial.

Regina Celi durante apuração do pleito presidencial do Salgueiro. Foto: Max Gomes

Em entrevista ao SRzd ao longo do período de campanha, Regina Celi prometeu dar continuidade ao seu trabalho. Entre as promessas, estava a continuidade nos planos para o desfile da escola no Carnaval 2019. “[Os meus planos são] fechar o enredo, logo, deste ano, dar continuidade nos trabalhos, fazer um belíssimo Carnaval para [o Salgueiro] ser campeão e continuar fazendo o que o que eu faço”, afirmou a presidente reeleita. Regina também prometeu manter a quadra da agremiação com eventos para a comunidade. “Vou continuar fazendo no Salgueiro. Fazendo as obras, botando o Salgueiro como uma casa de show. Não faço isso por campanha; faço porque o salgueirense merece ter um conforto. É isso que eu vou fazer e continuar fazendo. Enquanto eu for presidente do Salgueiro, eu vou continuar fazendo e lutando por eles”, destacou.

Oposição bateu de frente com Regina Celi

Pela primeira vez em alguns anos, a chapa da presidente Regina Celi enfrentou uma oposição que bateu de frente. A disputa pela presidência foi tão acirrada, que houve envolvimento da justiça que concedeu uma liminar que suspenderia o pleito ocorrido, tendo em vista acusações de inelegibilidade da chapa da atual presidente. No entanto, a liminar foi derrubada dois dias depois de sua concessão, na antevéspera da eleição pela Justiça do Rio.

Durante a campanha, André Vaz, da Chapa 2, fez críticas a administração da presidente Regina Celi. Em entrevista ao SRzd durante o período de candidatura, Vaz acusou Regina de conduzir a agremiação de forma errada e que acreditava que o Salgueiro não estava sendo transparente em relação as suas contas.

Comentários




mais notícias

    gl