Jorge Castanheira ao SRzd: ensaios técnicos, subvenção e contrato de concessão do Sambódromo

Jorge Castanheira. Foto: SRzd

“Uma matéria sobre a situação da Liesa perante a prefeitura seria bem pertinente”, pediu o leitor Darlan Souza. O SRzd foi atrás e conversou com o presidente da entidade que representa as escolas de samba do Grupo Especial, Jorge Castanheira, sobre as questões que rondam o Carnaval a quatro meses da festa.

Pergunta mais feita pelos leitores nos últimos meses, a reportagem questionou Castanheira a respeito da realização dos ensaios técnicos para o Carnaval 2019. O tema segue sem definição. O presidente afirmou que a entidade, junto à Riotur, empresa municipal de turismo do Rio, buscam a viabilidade dos treinos na Sapucaí, mas dependem de patrocínio para a realização. Vale lembrar que, por falta de verba, os ensaios não aconteceram em 2018.

“O projeto de captação, através da Lei Rouanet, já está pronto. Estamos aguardando a sinalização de algum patrocinador”, respondeu Castanheira. Possível patrocinadora, a Uber, que destinou R$ 500 mil a cada agremiação do Especial no último ano, ainda não fechou acordo para 2019.

Estamos esperando a assinatura do contrato para a liberação da verba

Já a subvenção da prefeitura, orçada em R$ 1 milhão para cada escola, pode demorar a sair. “Tivemos algumas reuniões, mas não há uma definição. Estamos esperando a assinatura do contrato para a liberação da verba”, disse Castanheira, ao afirmar que também não há previsão para que o dinheiro caia na conta das 14 agremiações.

Figura polêmica no mundo do samba, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, não compareceu às reuniões para tratar do assunto. Para Castanheira, no entanto, o fato não é problema: “A presença ou não do prefeito (nas reuniões) não interfere, porque a conversa se dá com o Paulo Messina (chefe da Casa Civil)”.

Outra questão que afeta o Carnaval 2019 é o contrato de concessão do Sambódromo, entre a Riotur e a Liesa, que venceu em 2018. A empresa de turismo afirmou que o documento que renova a concessão por mais dois anos foi assinado pelo presidente Marcelo Alves nesta segunda (29) e encaminhado à Liesa. Até presente momento, Castanheira disse que não houve assinatura por parte da entidade das escolas de samba.

“O contrato de cessão do Sambódromo, entre a prefeitura e a Riotur, foi renovado por mais 10 anos na última sexta-feira (26). No entanto, o contrato com a Liesa ainda não foi assinado. Esse último que nos dá permissão para comercialização de ingressos e montagem da Sapucaí.”

Comentários




    gl