Fatal! Erro de jurado tira título da Mocidade

Desfile da Mocidade. Foto: Gabriel Monteiro | Riotur

Desfile da Mocidade. Foto: Gabriel Monteiro | Riotur

Um erro grotesco do julgador Valmir Aleixo tirou o que seria mais um título para a história da Mocidade Independente de Padre Miguel. O jurado penalizou a escola com um 9,9 no segundo módulo de julgamento no quesito enredo. Segundo seu texto, houve falta de um destaque de chão, o que comprometeria a leitura do enredo. Mas o problema é que esse destaque não existia.

“Enredo fantástico de grande densidade cultural sustentado pela circularidade narrativa dos Halakis. Porém não apresentou o destaque de chão, o esplendor dos 7 mares que executa função narrativa dentro do enredo, comprometendo assim sua leitura”, justificou erradamente Aleixo.

Cédula de jurado. Foto: Divulgação
Cédula de jurado. Foto: Divulgação

De acordo com o livro ‘abre-alas’ da Liesa, utilizado pelos julgadores durante os desfiles, o destaque “O esplendor dos 7 mares” não existia no enredo do carnavalesco Alexandre Louzada.

O fato é que se essa nota fosse um 10, a Mocidade seria campeã do Carnaval 2017 após 21 anos.

Com esse décimo a mais, a escola empataria com a Portela e venceria no quesito desempate, que foi comissão de frente.

– Clique aqui para ler todas as justificativas

– Veja a nota de protesto da Mocidade diante dos argumentos do jurado.

– Saiba passo a passo de como foi criado o Aladdin voador da Mocidade

– Coreógrafo da Mocidade sobre ganhar o Prêmio SRzd Carnaval: ‘É isso que faz a gente se superar’

– Relembre o desfile da Mocidade

Comentários

srzd



mais notícias