‘História pra ninar gente grande’ é o enredo da Mangueira para o Carnaval 2019

Desfile da Mangueira no Carnaval 2018. Foto: Leandro Milton/SRzd

A Mangueira já tem enredo para o Carnaval 2019. “História para ninar gente grande” é o título do tema que promete contar o outro lado, muitas vezes não divulgado, da história do Brasil e das figuras brasileiras. O enredo tem a assinatura do carnavalesco Leandro Vieira, que vai para o quarto ano consecutivo na agremiação.

– Leia a sinopse do enredo 

Logotipo da Mangueira para o Carnaval 2019. Foto: Divulgação

“Você sabia que o Ceará aboliu a escravidão quatro anos antes da assinatura da famosa Lei Áurea? Você já ouviu falar em Chico da Matilde? Em Maria Felipa? Sabia da existência de um herói chamado Cunhambebe? A história oficial escolhe quem deve e quem não deve ser lembrado. O desfile da Mangueira é um olhar para isso. Um olhar para quem deveria estar nos livros e porque, os que estão, foram escolhidos para estar”, explicou o carnavalesco.

O tema da verde-e-rosa mostrará na Avenida outras versões para feitos atribuídos a figuras como Pedro Álvares Cabral, Princesa Isabel e Dom Pedro I e pretende dar valor a heróis esquecidos das páginas brasileiras. Cunhambebe, líder dos índios tamoios, Maria Felipa, negra que lutou pela Independência da Bahia, e Chico da Matilde, jangadeiro que comandou um movimento para acabar com a escravidão no Ceará, serão alguns dos personagens exaltados pela Mangueira.

“A proposta é questionar acontecimentos históricos cristalizados no imaginário coletivo e que, de alguma forma, nos definem enquanto nação. Essas ideias de “descobrimento” “independência” e “abolição” postas em cheque ou questionadas para possibilitar o entendimento do desprezo pela cultura nacional e as razões de uma sociedade pacífica ou, porque não, passiva”, disse Leandro Vieira.

Crítica explícita na Sapucaí

Após criticar publicamente o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, em uma das alegorias no Carnaval 2018. O carnavalesco da verde-e-rosa seguirá na linha satírica, mas com outros personagens. Em vez de Dom Pedro I montado num cavalo ás margens do Ipiranga, como mostram os quadros, Leandro Vieira trará o personagem em cima de uma mula com dor de barriga, tese sustentada por historiadores.

O carnavalesco defenderá que a independência foi uma trama da família real para abafar anseios revolucionários e que a Proclamação da República foi um golpe, uma vez que o primeiro presidente, Marechal Deodoro, tinha convicções monarquistas. Figuras da ditadura militar também serão expostas no desfile.

Mangueira criticou o prefeito do Rio em uma das alegorias de 2018. Foto: Henrique Matos

Comentários




mais notícias

    gl