‘Esperamos que a Cidade do Samba seja nossa casa por muitos anos’, diz Alex Fab sobre o retorno da Viradouro

Barracão da Viradouro. Foto: Cristiane Lourenço

Barracão da Viradouro. Foto: Cristiane Lourenço

O campeonato da série A conquistado pela vermelho e branco em 2018 trouxe, junto com a alegria pela vitória, o alívio de voltar a trabalhar em um local com estrutura adequada ao desenvolvimento do Carnaval. Em um bate-papo com o SRzd, Alex Fab e Dudu Falcão, diretores de Carnaval da Unidos do Viradouro, contam como se deu o processo de mudança para o novo espaço, as adequações da escola às exigências do Ministério do Trabalho e os preparativos para o próximo Carnaval.

SRzd: Ao contrário das escolas que ascenderam ao Grupo Especial em anos anteriores, que ocupam o barracão da agremiação que é rebaixada para a Série A, a Viradouro está em um barracão que vinha sendo utilizado anteriormente pela Amebras. Como se deu este processo?

Alex Fab: A saída da Amebras do barracão se deu de forma muito tranquila. A logística da mudança foi organizada pela Liesa. E a presidência da escola fez questão de dar o tempo necessário para que a Amebras fizesse a sua mudança com tranquilidade. Neste processo, acabamos instituindo uma parceria, com aquisição de alguns itens para Viradouro. Consideramos importante a parceria que estabelecemos com a Amebras e com o restaurante que já existia aqui. Além da aquisição de peças de ambos, pensamos em dar continuidade a esta parceria no futuro.

SRzd: Como se deu a logística de retorno à Cidade do Samba?

Barracão da Viradouro. Foto: Cristiane Lourenço
Barracão da Viradouro. Foto: Cristiane Lourenço

Alex Fab: Registro nossos agradecimentos à Liesa por possibilitar todo o suporte necessário para a nossa mudança do barracão antigo para o atual, também à CET-Rio e ao Porto Novo, que foram fundamentais para a operacionalização do nosso translado. Desde o desmonte de algumas peças, até a interdição do trânsito, disponibilidade de uma equipe para nos ajudar no transporte das alegorias, enfim, a liga teve uma participação muito importante, eu diria até fundamental para que nossa mudança ocorresse em nenhum tipo de intercorrência.

SRzd: Como é voltar à trabalhar na Cidade do Samba? Como foi a acolhida?

Alex Fab: A Viradouro foi extremamente bem acolhida nesse retorno à Cidade do Samba. Em nosso primeiro dia aqui, fomos recepcionados pelo presidente Jorge Castanheira, pelo Elmo José dos Santos e pela gestão da Liesa. O Gustavo e o Edson nos deram todo o suporte operacional dentro da Cidade do Samba desde o primeiro momento até hoje. Também fomos muito bem recepcionados pelas demais escolas que aqui estão. Isso é muito importante para nós. Retornarmos e sermos bem acolhidos.

SRzd: Este barracão não era utilizado por uma escola de samba. Foi feito algum tipo de adequação na estrutura do barracão para que a Viradouro pudesse iniciar os trabalhos?

Barracão da Viradouro. Foto: Cristiane Lourenço
Barracão da Viradouro. Foto: Cristiane Lourenço

Alex Fab: O barracão atende plenamente as necessidades da Viradouro. Óbvio que buscamos dar a nossa cara ao espaço, afinal de contas, esta será a nossa casa durante todo esse ano. E esperamos que por muitos outros anos!

Dudu Falcão: Estamos realizando ajustes para que nosso barracão seja um espaço de trabalho, onde todas as fases do projeto de Carnaval da Viradouro sejam desenvolvidas com a estrutura que consideramos ideal para realizarmos um trabalho de excelência.

SRzd: Um tema que permeou o pré-Carnaval em 2018 foi a questão da segurança dos trabalhadores que atuam nos barracões. A Viradouro tem trabalhado neste aspecto? Quais as ações realizadas pela escola para a prevenção de acidentes dentro do barracão?

Alex Fab: Estamos realizando algumas adequações para que o barracão fique dentro do que consideramos ideal para nosso processo de trabalho, tanto artisticamente quanto na questão das melhores condições de trabalho para nossos colaboradores. Estamos dando atenção especial ao tema da segurança do trabalho. Hoje a Viradouro possui dois especialistas na área de Segurança do Trabalho que estão atentos para que todas as Normas Regulamentadoras previstas pelo Ministério do Trabalho sejam cumpridas. Nosso investimento é na adequação da estrutura física do barracão e também nos equipamentos utilizados pela equipe que já está em atividade. Adquirimos todos os EPI’s (Equipamento de Proteção Individual) recomendados e exigimos que nosso colaboradores os utilizem durante o exercício de suas atividades.

SRzd: Sabemos que não era uma prática muito comum a utilização de equipamentos de segurança do trabalho nos barracões. Algumas vezes, os próprios trabalhadores não se sentem à vontade utilizando luvas, óculos de proteção e outros EPI’s. Como gerenciar esta questão?

Dudu Falcão: É realmente uma questão de mudança de cultura. Entendemos que isso dentro do barracão, esse cuidado maior com a segurança dos trabalhadores, é necessário e positivo. Claro que se trata de um trabalho de educação, é preciso mostrar ao trabalhador a importância de usar uma luva, um óculos protetor. Neste sentido, ter profissionais especializados em Segurança do Trabalho, atuando dentro do barracão, em contato com os colaboradores, faz com que este processo de conscientização e orientação se torne mais fácil.

SRzd: Percebemos que há pouca movimentação nos barracões das demais agremiações. Já na Viradouro, notamos uma movimentação um pouco maior. Estamos em meados de maio. O que a Viradouro está fazendo neste momento?

Barracão da Viradouro. Foto: Cristiane Lourenço
Barracão da Viradouro. Foto: Cristiane Lourenço

Alex Fab: O trabalho neste momento consiste em estruturação das bases que serão utilizadas em nossas alegorias. Agradeço muito à equipe que tem trabalhado conosco. Por conta do translado de um barracão para outro, não tivemos uma parada para descansar. Neste momento, estamos em uma fase que não tem muito o que se ver, mas que é fundamental para que o projeto seja bem sucedido. Essa fase do trabalho tem como objetivo criar todo o suporte para que nossas alegorias tenham a grandiosidade que o Carnaval exige atualmente, que estejam adequadas ao projeto artístico que está sendo desenvolvido e principalmente que sejam seguras para os nossos componentes.

SRzd: A equipe do Carnaval 2018 foi muito bem sucedida. Ainda assim, a diretoria da escola optou por realizar algumas modificações no time e contratou nomes de peso para compor a equipe para o Carnaval 2019. Como tem sido este início de trabalho?

Dudu Falcão: Quando passamos a trabalhar com um grupo de pessoas acabamos nos tornando uma família, isso fica mais forte quando alguns já eram amigos fora das paredes do barracão da escola. Então, é natural quando ocorrem as mudanças. O primeiro sentimento é de lamento, porém, este é o processo e pode ocorrer com todos nós. O time recebeu profissionais que não precisam provar mais o nível de seu talento, são nomes já conhecidos na folia e de trabalhos bem sucedidos. Um deles é o Paulo Barros, e trabalhando diretamente com ele pela primeira vez, o que podemos dizer nesses primeiros meses é que ele é um artista obstinado pelo trabalho e perfeição, é um cara que tem o foco todo voltado para o sucesso do projeto ao qual foi contratado.

SRzd: A Viradouro tem componentes muito apaixonados e que são muito presentes no cotidiano da escola. O que vocês podem dizer a estes torcedores?

Dudu Falcão: Que os trabalhos para 2019 já começaram. Trabalho e trabalho. Esse foi o lema da Viradouro ano passado e este ano continuamos com o mesmo pensamento: somente com muito trabalho vamos alcançar o objetivo. Nossa quadra está em plena atividade, com a escolinha de ritmos do mestre Ciça e ensaios da nossa bateria. Também já começamos o recadastramento dos nossos componentes de alas de comunidade. Nosso recado é esse: que eles continuem conosco este ano.

Serviço:

– Escolinha de ritmos
Segundas-feiras, às 19h30
– Ensaios da Bateria Furação Vermelho e Branco
Terças feiras, às 20h
– Recadastramento de componentes das alas de comunidade.
Dias 22 e 29 de maio – De 19h às 22h
Local: Quadra da Unidos do Viradouro – Avenida do Contorno, n. 16 – Barreto – Niterói.
Site: http://unidosdoviradouro.com.br
Telefone: 2628-5744

*Entrevista concedida a Cristiane Lourenço, colaboradora do SRzd

 

Comentários




mais notícias

    gl