Perfil: Carlos Reis e Portela, uma história de amor com as bençãos de Clara Nunes

Carlos Reis, desfile 2012

Carlos Reis! Ao citar este nome qualquer sambista idealiza três coisas: Portela, luxo e fidelidade. Assim, o primeiro destaque da agremiação azul e branco de Madureira, conquistou o seu espaço no Carnaval. Ao SRzd Carnaval, contou sua história, fatos marcantes e seu contato com a saudosa e eterna Clara Nunes:

“No ano de 1983, a Portela havia sido ACLAMADA como a grande campeã daquele carnaval, Pelo povo. Mas, no resultado oficial, ficou apenas com o vice-campeonato. Havia um alvoroço em torno do desfiles das campeãs. Todos os casais de mestre-sala e porta-bandeira das outras escolas, desfilariam na frente da Portela, em protesto pelo resultado. Um amigo me levou para conhecer a concentração da Portela, no dia do desfile das Campeãs e achei divino. Já estava maravilhado com tudo que via. De repente,  surge na concentração, uma mulher linda e cheia de garra. Cumprimentando e dando força a todos. Era Clara Nunes , um verdadeiro Orixá vivo! Achei impressionante como Clara comandava e incentivava a escola, com garra, dizendo para as baianas e componentes: ‘Vamos entrar com garra!’, ‘Amor pela Portela!’, ‘A Portela vai mostrar quem é a campeã!’, ‘Conto com vocês!’. Falava isso com muito ardor, era realmente uma guerreira. Ela notou que eu estava extremamente admirado. Ela se aproximou de mim e me falou: ‘Você está encantado! Voce nunca desfilou na Portela?’, eu respondi que não. Ela me disse: ‘Um dia você vai desfilar pela Portela. Me promete?’, me deu um beijo no rosto e saiu agraciando a todos com sua simpatia e energia.

Alguns meses depois, veio aquela comoção Nacional com a fatídica operação que Clara se submeteu. Ela conseguiu reunir todas as crenças e religiões em orações por sua recuperação. Mas, se foi para outro plano. No ano de 1984 o enredo da Portela fazia homenagens à Paulo da Portela, Natal e Clara Nunes. Claro que não poderia deixar de desfilar. Até mesmo para que se cumprisse a profecia de Clara, de que um dia eu iria desfilar na Portela. Desfilei na Ala do Almirante, aos prantos de tanta emoção. Era também a inauguração do novo Sambódromo. Nos anos seguintes, continuei desfilando em ala. Em 1991 comecei a desfilar como destaque por um convite de Paulo Miranda e Carlos T. Martins e hoje, tenho o maior orgulho de ser o 1º Destaque da Portela. E assim entrei no Carnaval e na Portela. De uma certa forma, por causa de Clara, a quem sempre peço licença para entrar na avenida. Tenho certeza que ela sempre está presente em nossos desfiles nos passando a sua energia e vibração. Afinal minha historia com o samba e com a Portela, que é minha maior paixão, partiu de uma visualização dela e, de certa forma um convite muito especial.”

Desfile de 1985
Desfile de 1985

Após a morte da destaque portelense Wanda Batista, Reis, passou a ser exclusivamente 1º Destaque da Portela. Ele relembra o momento:

“A partir do ano de 1995, passei a ser escalado pela escola para vir na frente, abrindo os desfiles no abre-alas. Motivo de muito orgulho e responsabilidade. Tendo recebido da direção da escola o título de 1º Destaque Masculino até o ano de 2000, pois dividia com Wanda Batista este título. Ela 1º Destaque Feminino e eu, masculino. Com o falecimento dela no ano de 2001, passei a ocupar sozinho o título de 1º Destaque da Portela. Não existindo mais divisão entre masculino e feminino.”, explicou.

Durante sua história carnavalesca passou por muitos comandantes na agremiação e afirmou nunca ter aceitado convites para desfilar em outras escolas:

“Nessa minha trajetória pela escola, passei por  06 Presidentes,  14 carnavalescos e tenho a alegria de ser amigo de todos que passaram pela Portela. Tenho o privilégio de gozar da amizade e do respeito de todos os carnavalescos e dirigentes de todas as agremiações co–irmãs. Já recebi convites para desfilar em várias escolas de amigos presidentes e carnavalescos. Mas, só desfilo na Portela. Não me vejo desfilando em outra escola. Apesar do carinho que tenho por todas, acho que tem que ter fidelidade e exclusividade a uma só bandeira. Eu penso assim. Mas, não recrimino quem desfila em várias agremiações. Cada um tem sua maneira de pensar. Esta mesma fidelidade, tenho com o estilista que confecciona minhas fantasias. É o mesmo desde a primeira até a atual, do próximo ano de 2017: Edmilson Lima. Quando recebo o figurino da escola, nós sentamos e estudamos como vamos desenvolver o trabalho. Sempre em comum acordo. Mas, pelos anos que nos conhecemos, ele já conhece todos os meus gostos e o trabalho sempre flui bem. É um casamente perfeito”, avaliou.

Carlos Reis
Carlos Reis

Durante todos esses anos, não foram apenas de glórias os desfiles portelense. Sol, chuva, fome, perigo e medo, nunca foram obstáculos para que Carlos Reis deixasse de passar pela Avenida:

“Já desfilei com sol escaldante das 14hs da tarde e sob temporal. Já escalei carro alegórico sem escada e já fantasiado para não atrasar a entrada da escola. Sem o ‘santo antônio'(ferro que se segura com as mãos para não cair da alegoria), com queijo bambo (a plataforma onde vem o destaque). Já desfilei no chão com fantasia pesadíssima por conta do carro alegórico ter quebrado. Já aconteceu de usar fantasia que custaram mais caro do que o próprio carro alegórico que desfilei. Mas nada me desanima ou me tira o estímulo de fazer sempre o melhor pela minha escola. São coisas de carnaval. Tenho muito mais alegrias em minha história do que tristezas. Pois sempre fui muito respeitado por todos os dirigentes e carnavalescos. Uma das que me deixaram mais feliz e orgulhoso, foi ter tido a honra de estar numa alegoria que sei que ficou para sempre na história do carnaval carioca. A ‘Águia Redentora’,  do carnaval de 2015”.

Destaque da alegoria "Águia Redentora", 2015
Destaque da alegoria “Águia Redentora”, 2015

Participativo! Destaque, sócio benemérito, conselho deliberativo, padrinho de torcida organizada, presença certa em eventos e feijoadas e representações em concursos:

“Participo ativamente na escola. Além de ter o título de  sócio Benemérito, sou membro do Conselho Deliberativo. Sou padrinho da Torcida ‘Portelamor’ e tenho a escola como uma extensão da minha família, onde tenho muitos amigos. Participo de todas as feijoadas e de todos os eventos que acontecem na quadra. Participei dos Concursos de Fantasia do Hotel Glória de 1991 à 2004. Acumulei uma coleção invejáveis de 2ºs lugares. Ressalto que em todos os anos era aclamado pela plateia como o verdadeiro Campeão. Alguns anos, até pelos jurados. Tive a honra de receber o troféu de “DESTAQUE DA DÉCADA”, pela Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, no Hotel Glória. Na realidade, a minha participação nos Concursos de Fantasia, eram somente para promover o nome da Portela. Uma vez que os concursos tinham uma grande mídia, com transmissão ao vivo pela TV e cobertura pela imprensa escrita. Além, de testar a Fantasia para o principal que era o desfile na avenida”.

2004
2004

Nessa longa trajetória não faltaram prêmios individuais. Carlos porém, faz uma reflexão pela desvalorização dos destaques:

“As premiações à Destaques são muito raras. Poucas Entidades prestigiam os destaques. Mas, quem sabe um dia isso muda. Não é levado em conta que o destaque não conta ponto. Mas, tira ponto se não estiver adequado ao enredo e a alegoria. Fui agraciado por 09 anos consecutivos pelo “JORNAL A NOTÍCIA” com o troféu “Babadinho da Folia” como melhor Destaque da Avenida. Era uma premiação muito conceituada, tendo a frente um grande mangueirense, o saudoso José Carlos Neto.

Recebi o troféu “Coca-Cola” por 03 anos consecutivos, também como melhor Destaque do Carnaval do Rio de Janeiro.

A honra de ser o 1º participante do carnaval a receber o título de Horconcurs , por ter ganho por 05 anos o troféu de melhor Destaque pelo Instituto do Carnaval, troféu Plumas e Paetes.

Troféu SambaNet, melhor Destaque do Carnaval do Grupo Especial por 02 anos

Homenagem especial da LIESA no 1º Grande Baile da Cidade do Samba.

Mas, de todas as premiações e homenagens que recebi na minha trajetória, nada se compara a emoção da Comenda que recebi na ALERJ (Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro). Fui condecorado com a comenda e medalha TIRADENTES. E, o que mais valorizou esta comenda, foi o fato de ser o único Destaque de Carnaval a ter tal honraria. A comenda foi uma iniciativa do Deputado Chiquinho da Mangueira, presidente de uma agremiação co-irmã e aprovada em plenário por Unanimidade. É muita honra!”.

Do Rio de Janeiro ao mundo:

“Difundi o nosso Carnaval em vários países pelo mundo afora. Minhas Fantasias, já foram expostas no Canadá, França, Uruguai, Inglaterra e África do Sul. Participei de vários eventos governamentais, como apresentação para o Príncipe Charles e Princesa Diana da Inglaterra, no Palácio da Cidade. Congresso dos Povos de Todo o Mundo, para todos os Presidentes do Planeta. No Palácio do Itamaraty e no MAN Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro”.

2014
2014

Por fim, Carlos Reis falou sobre sua fantasia e o que vem para 2017:

“Os preparativos para o carnaval de 2017, encontra-se a todo vapor. No próximo carnaval virei com uma proposta super ousada e bem diferente dos anos anteriores. No carnaval de 2016 eu resisti as propostas do Paulo Barros, atual carnavalesco da Portela. Mas, este ano gostei muito e resolvi aderir. Vai ser uma fantasia inovadora e de grande impacto. Mas, dentro dos meus padrões: luxo e glamour”, concluiu.

2004
2004

Comentários




    gl